Como amamentei após passar por um parto traumático

Amamentar é um processo de aprendizado tanto para a mãe quanto para o bebê. É preciso conhecimento, paciência, tempo e amor para superar o incômodo dos primeiros dias, até finalmente pegar o “jeitão da coisa”. Minha história não foi diferente, apesar de ter passado por um parto traumático e sofrido violência obstétrica. Eu amamentei de…

Sinto que existo somente pra criar meu filho.

Nome, quantos filhos e profissão: Anônima, um filho, desempregada Idade: 29 Desabafo Anônimo: Estou cansada. Tenho 29 anos, um filho de 2 anos. Sou casada faz 4 anos e nosso filho foi super desejado e planejado. Porém, tudo mudou desde que nosso filho nasceu, uma criança que chorava praticamente o dia todo e à noite. Não dormia. Eu…

Estou sofrendo com o isolamento da vida externa.

Nome, quantos filhos e profissão: Carina Idade: 37 Desabafo Anônimo: Tive duas gravidezes complicadas. Primeiro filho ficou na UTI e depois teve vários problemas de saúde. Não consegui mais trabalhar fora. Só dona de casa. Casamento ia muito mal. Ouvindo todo tipo de rebaixamento e desmerecimento. Cuidei 9 anos praticamente sozinha do meu filho. Idas a muitos médicos,…

Só queria que essa culpa sumisse

Olívia, estudante 18 anos Desabafo Anônimo: Recentemente eu terminei um namoro que durou cerca de um ano. Como qualquer casal, nós mantínhamos relações sexuais constantes. No início do relacionamento, elas eram frequentes e prazerosas, mas conforme as brigas foram aflorando e as diferenças se fizeram presentes, eu perdi o tesão. Aos poucos, não sentia vontade de…

Ele esta tentando me convencer

Nome, quantos filhos e profissão: Anônima ,1 filho Idade: 22 Desabafo Anônimo: Como saber qual é a hora de por um fim na relação? Como tornar isso mais fácil para os dois ? Como fazer isso sem fazer os filhos sofrerem ? Como ter certeza de que não vai se arrepender depois? Estou com todas essa dúvidas na…

Isso não é vida para ninguém

Nome, quantos filhos e profissão: Gabriela,1 filho técnica agrícola Idade: 26 Desabafo Anônimo: Olá meu nome e Gabriela,tenho 26 anos e vivo em um relacionamento abusivo há 8 anos onde ele me difama, baixa a minha auto estima ,e ontem pela primeira vez me deu um tapa na cara. Meu filho presenciou tudo e ele ainda coloca o…

Não sei o que vai ser daqui pra frente

Nome, quantos filhos e profissão: Cris Idade: 34 Desabafo Anônimo: Tenho 34 anos e descobri uma gravidez(indesejada) tomo injeção mas não sei o que houve, pior que estou no 3 mês, estou desolada não sei o que fazer estou até com depressão, fico aqui na janela pensando em pular daqui. Não sei o que vai ser daqui pra…

Que eu devo fazer

Nome, quantos filhos e profissão: Rafael Alonso Idade: 19 Desabafo Anônimo: Olá, sou casado faz um ano e meio e costumamos eu e minha esposa que quando ela chegue do curso me chamar no trabalho, isso mais ou menos as 19hrs, e justo hoje ela me chamou as 22hrs, eu todo preocupado, perguntando para os parentes dela e tudo, e…

Tão só

Nome, quantos filhos e profissão: Lara Idade: 16 Desabafo Anônimo: Oi eu ando me sentido tão só e triste sei que não deveria mas…. não sei por qual motivo/razão estou assim…

 Por que ?

Nome, quantos filhos e profissão: V, 1 filha Idade: 32 Desabafo Anônimo: Por que eu fico lendo esses relatos tristes? Sofro de ansiedade e depressão há anos, luto quieta e sozinha contra os demônios que crio na minha cabeça – e contra os reais também, sou só eu mesma por mim… Entro no face pra distrair, ver coisas…

Só porque eu sou filha de uma professora

Ana Leticia Idade: 19 Desabafo Anônimo: Bom, eu tenho uma professora que é muito puxa saco. Ela acha que eu sempre devo tirar dez só porque eu sou filha de uma professora. Quando eu tiro um oito, ela sempre me dá um ponto. O que acham que devo fazer? Aceitar ou dar na cara dela?

Todo o trauma de dar à luz me fez parar em um só filho.

https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2017/mar/25/the-everyday-trauma-of-childbirth-made-me-stop-at-one-child *Tradução livre Polly Clark acredita que, para muitas mulheres, o choque do parto e suas conseqüências é semelhante à experiência de guerra, deixando-as à deriva e ausentes de maneira profunda – mas ninguém percebe. “Uma vez, na obstetra, eu vi um vislumbre de meus registros médicos que se deslocaram do carrinho para a mesa…