Abuso infantil – 15 formas de reconhecer sinais de abuso em crianças e bebês

Publicado originalmente em A Mãe Coruja, em 13 de abril de 2017. Nos últimos dias, infelizmente, um dos principais assuntos nas redes sociais e mídias é a violência. Aliás, já estamos acostumados às manchetes sobre assaltos, crimes, homicídios, latrocínios e os mais variados atos de crueldade. Dessa vez, uma onda de casos sobre a violência…

Aquele “carinho” que ele me dava não era normal.

Anônima. Idade: 33 Desabafo Anônimo: Depois de adulta me recordei de muitos acontecimentos da minha infância. Quanto mais me recordava mais raiva e nojo eu sentia. Primeira recordação: eu tinha uns 3 aninhos quando em uma dessas festas em família, casa cheia de tios e primos, tudo parecia normal até que um primo meu que…

O que podemos aprender com as tragédias?

Por Paula Osés – Psicóloga Acolhedora da ONG Temos que falar sobre isso – 28/01/2018 Na manhã da sexta-feira (dia 20/10/2017), em uma escola particular em Goiânia – GO, um garoto de 14 anos sacou uma arma que havia pego da família e atirou contra seis colegas de sala de aula e acabou matando dois…

Sobre culpa, limites e cuspe na testa

Por Elisama Santos. Publicado originalmente em 11 de agosto de 2016. Ela mamava enquanto eu acariciava os cabelos. Os últimos meses foram terríveis. Há muito eu não sentia prazer naqueles momentos. Cada mamada me deixava louca. As inúmeras acordadas noturnas me pareciam uma tortura. Já não dava pra adiar, a transformação da nossa relação era…

NÃO AGUENTO MAIS SER MÃE

1 filho, estudante Idade: 17 Desabafo Anônimo: Meu deus do céu, eu já não aguento mais! Minha história é bem complicada, tive depressão profunda e vários problemas, meu remédio cortou o efeito do anticoncepcional e pluft! Surgiu uma gravidez completamente inesperada e aos 17 anos de idade… Não tive a coragem de abortar, pois sabia…

Eu fui reduzida a mãe de alguém

Anônima, 1 filha Idade: 18 anos Desabafo Anônimo: Estou tendo pensamentos suicidas. Tenho quase certeza de que tenho depressão pós-parto. Mas não posso conversar com ninguém sobre isso. Quero fazer terapia, mas não tenho dinheiro para isso. Preciso de ajuda. Eu quero morrer. Minha bebê é linda e a amo demais. Mas ela chora. Ela…

Não me recuperei totalmente

Uma filha, um neto e futura Enfermeira. Idade: 40 anos Desabafo Anônimo: Olá. Tenho 40 anos sou divorciada há 2 anos. Consegui sair de um relacionamento tóxico de 17 anos onde sofri muito (em silêncio), apanhei muito, fui muito hostilizada, humilhada, violentada psicologicamente, desvalorizada, esquecida…. achava que teria que carregar a cruz sozinha, afinal eu…

PAULA CRISTINA CAMARGO OSÉS

Meu nome é Paula, sou psicóloga (CRP 06/122508), psicoterapeuta clínica e psicóloga escolar. Sou vegetariana e amo os animais, mas o meu caminho é na educação. Venho de uma família de educadores e minha mãe é diretora de uma escola estadual no interior de São Paulo. Desde que entrei na faculdade de psicologia sabia que…

Apego: por que é importante para o desenvolvimento infantil?

Por Rafaela de Almeida Schiavo – 05 Novembro 2017 Quando um bebê nasce ele é um sujeitinho totalmente dependente de outro ser humano, se o meio não lhe fornecer cuidados, este bebê irá morrer, pois ele não consegue se locomover ou se alimentar sozinho. Portanto, alguém precisará ajudar o bebê a sobreviver. Em geral, em…

Conscientização sobre a perda gestacional e Neonatal

Organizadora: Fernanda R. Rangel Pedimos às mulheres que passaram pela perda Gestacional e Neonatal para que deixassem uma frase de conscientização. Unimos todas as frases que recebemos em um único texto, buscando mostrar o que pensa, sente e vive uma mulher que experimenta essa perda. No dia da Sensibilização da Perda Gestacional e Neonatal damos…

Violência obstétrica e a cultura do estupro

Podemos pensar em uma proximidade entre violência obstétrica e a cultura do estupro, visto que inúmeras mulheres que sofreram violência obstétrica sentem-se violadas, envergonhadas e culpadas, sentimento muito comum também entre as mulheres que foram vítimas de abuso sexual. A violência obstétrica se aproxima muito do sentimento de corpo violado, principalmente em sua vagina, o…

ESTÁ NO AR! Doe 1h, ajude uma mãe

  Acesse os GRUPOS de apoio por ESTADO aqui: http://bit.ly/doe1h_GRUPOS – Sobre o Programa ‘Doe 1h, ajude uma mãe’ – Já pensou que existem outras mulheres, mães que também sentiram o que você sente e que podem te acolher? Vamos juntas? Que tal se disponibilizar para ajudar uma mãe, uma desconhecida que precisa de apoio…