Tem dias que não sinto nada

Julia, 19 anos.   Desabafo Anônimo: Tem dias que não sinto nada… Alegria ou tristeza, isso mesmo, nada. É estranho, muito estranho não ter nenhum sentimento no seu corpo, você se sente vazio… Não sei porque acontece, apenas acontece…

Aquelas coisas me perseguem

C., 33 anos, 2 filhos, estudante.   Desabafo Anônimo: Segundo puerpério, 12 dias hoje. E pela segunda vez, aquelas coisas me perseguem. Medo de tudo, medo até de dormir, de acordar, do tempo passar…. não está fácil, mesmo tendo tudo para estar bem, marido, família, filho saudável. Queria saber como é ter filho e ficar…

Me vi no fundo do poço

Larissa, 32 anos, um filho e servidora pública.   Olá. Sou mãe há 1 mês e 17 dias. Minha gravidez não foi desejada, mas após o susto, o amor pelo meu filho foi crescendo a cada dia. Tive uma gravidez tranquila, sem nenhum problema, graças a Deus. No sexto mês de gestação, eu e meu…

É como se um buraco se abrisse no meu peito

Anônima, 22 anos, primeira gestação. Desabafo Anônimo: 5 anos de namoro. Pais que proibiam tudo e aí engravidei. Estou com 9 meses e o bebê nasce a qualquer momento… Meu namorado sempre foi o tipo de pessoa que conquista todos por onde passa. Um homem íntegro, confiante, prestativo e… Ciumento! O início do relacionamento foi…

Todos os planos foram por água abaixo

Anônima, 28 anos, 2 filhos, estudante. Desabafo Anônimo: Estou perdida no meio de uma terceira gravidez não planejada, não desejada. Engravidei tomando remédio. Não consigo me sentir feliz, sinto que todos os planos que fiz pra minha vida mudar foram por água abaixo. Sou estudante dependente do meu marido, sonhava em trabalhar ano que vem, em…

Um trabalho com real significado

Por Patricia Razza – 08 maio 2017 Quando fui convidada a escrever sobre o significado deste trabalho para a minha vida, fiquei imersa em vários pontos sem saber muito por onde começar. Afinal, como traduzir o meu encantamento sobre uma proposta que, casualmente, conheci na leitura de uma revista? Ao entrar em contato com a…

Estou morta. Podre. Massacrada.

Julia, 31 anos, sem filhos, desempregada.   Acabo de sair de um relacionamento abusivo. Como disseram minhas amigas, “ainda bem que acabou agora… poderia ter durado mais alguns meses ou anos, quem sabe.” Elas têm razão, mas a verdade é que sinto que nunca vou me curar. Que a dor que me rasga por dentro…

Carolina Clemente de Oliveira

Acesse CV Psicóloga, pós-graduada em Clínica psicanalítica e Gerontologia. Atualmente minha clínica se direciona ao acompanhamento terapêutico do luto, ou seja, ofereço um suporte e direcionamento às pessoas que estão enfrentando o luto. Tenho 35 anos e sou mãe de um lindo menino, Arthur, de 8 anos. Um pouco sobre mim. Sou Carolina, psicóloga e…

Fernanda Lima Rodrigues

Acesse CV Olá! Meu nome é Fernanda e sou Psicóloga (CRP/05-35506) e Psicoterapeuta, tendo a linha Humanista como referencial. Realizo atendimento clínico particular de adolescentes, adultos e casais no Rio de Janeiro. Vou contar um pouquinho sobre minha trajetória profissional e um pouco da pessoal também pra que vocês me conheçam melhor. Desde a graduação…

O desafio não é o jogo da Baleia Azul

Uma coisa é o JOGO DA BALEIA AZUL. Outra é o DESAFIO de assimilar qual é realmente a razão para a morte dessas crianças e adolescentes. Jovens estariam se mutilando física e emocionalmente por conta (exclusivamente? será?!) de um desafio propagado via redes sociais chamado Blue Whale (BALEIA AZUL no Brasil). O perfil dos menores varia…

Sobre a Baleia Azul

Seu filho tem apenas 5 anos, mas ele chegou da escola e os seus olhos estavam colados na tela do celular. Não os dele, os SEUS. Aos 3 anos, rimos muito , ela já sabia mexer no celular, também, por isso, o iPhone 4 servia pra ela brincar. Com 7 anos ela estava preocupada com…

Amava ser mãe, mas não não estou conseguindo

Anônimo, 26 anos, 2 filhos, pedagoga. Desabafo Anônimo: Bom dia. Estou me sentindo completamente estranha. Tenho dois filhos, a primeira eu tive quando tinha 21 anos, era solteira e morava com minha mãe na época. Meu namorado me apoiava, mas ainda morava com os pais. Quando nossa filha nasceu, ele veio morar comigo. Então, nossa…