A médica disse que nem era gravidez e sim uma menstruação normal.

C., sem filhos, biomédica, 31 anos. Desabafo Anônimo: 2017 com sequelas. 7 anos de casada, pós tratada de síndrome do pânico, recuperada e feliz!! Tudo para ter minha vida melhor! Mas o destino me deu uma rasteira… Uma gravidez que se completava, descoberta na véspera de aniversário de casamento e dia das mães!!! Comemorado com surpresa…

Ninguém lembra dele, parece que ele nunca existiu

Anônima, 1 no céu, Desempregada, 30 anos Desabafo Anônimo: Em setembro de 2014 descobri minha gravidez. Foi um susto no começo. Não estava planejando, mas foi o melhor presente que ganhei. Com 19 semanas descobri que era o Arthur. Com 20 semanas, comecei a inchar muito e ter muita dor de cabeça. Os médicos sempre falando que era por causa…

Eu amei aquele bebê e ainda amo

19 anos Desabafo Anônimo: Recentemente descobri que estava grávida, fiquei muito feliz, porém eu estava com perda de sangue há 20 dias. Fui muito maltratada pelos médicos. Eles acharam que eu estava tentando induzir um aborto, me xingaram muito, mesmo eu dizendo que não sabia que estava grávida. A doutora falou para mim que não…

É PRECISO SANGRAR

Patricia Pavloski Perez, 2 filhos (um perdido ainda na gestação), jornalista, 31 anos. Desabafo Anônimo: É PRECISO SANGRAR (16/11/2017) – Relato em forma de protesto do dia mais triste da minha vida, quando perdi meu bebê de 7 semanas. Sangrando escrevo estas palavras. Literal. O útero se encaixa no lugar e sangra. Provavelmente mais rápido…

Mesmo sem ter te conhecido, eu te amo

Idade: 18 Desabafo Anônimo: Eu nem cheguei a conhecer o meu filho e o pior de tudo é que meu namorado meu culpa até hoje por ele não ter nascido. Perdi meu bebê com 3 meses, ele estava começando a crescer mais, e quando eu menos esperei, tinha perdido o meu filho. Essa dor eu não…

Resta saudade de tudo o que não vivemos

R., mãe de uma princesa e do anjo Teodoro, 35 anos. Desabafo Anônimo: Saudades do que não vivi… Vivo um relacionamento há dezesseis anos, temos uma linda filha de oito anos e hoje sinto a dor amarga de ver meu sonho abreviado às 30/31 semanas de gestação do meu anjo Teodoro. Teodoro, parece irônico, mas…

A dor não passa, apenas me acostumei a senti-la

Meu nome é C., tenho um filho de 20 anos e tive uma filha, Gaby, que faleceu horas após seu nascimento. Idade: 45 Desabafo Anônimo: Minha primeira gestação não foi planejada, mas muito esperada. No início fiquei assustada, mas muito feliz! Tive uma gravidez tranquila, mas no final tive toxoplasmose, minha placenta amadureceu antes da…

Mas me calar está me sufocando

Anônima, coordenadora comercial, uma filha Idade: 31 Desabafo Anônimo: Minha filha tem 6 anos e a gravidez dela foi muito difícil, logo no primeiro ultra veio a notícia que ela tinha nariz hipoplasico, sugeriu um estudo genético pq ela poderia ter alguma síndrome, o pai me abandonou e tive que mentir para os meus pais,…

Estou a ponto de enlouquecer

41 anos. Desabafo Anônimo: Estou a ponto de enlouquecer. Tive 3 perdas gestacionais – 2 abortos retidos e 1 gravidez ectópica. Acabei de descobrir uma nova gravidez no 1º dia de atraso, por causa do meu histórico fiz o beta HCG e repeti 2 dias depois e a evolução foi abaixo do esperado, além do…

Conscientização sobre a perda gestacional e Neonatal

Organizadora: Fernanda R. Rangel Pedimos às mulheres que passaram pela perda Gestacional e Neonatal para que deixassem uma frase de conscientização. Unimos todas as frases que recebemos em um único texto, buscando mostrar o que pensa, sente e vive uma mulher que experimenta essa perda. No dia da Sensibilização da Perda Gestacional e Neonatal damos…

Isso só não ganha grande dimensão para quem não o vive

Clara, 1 filho, médica, 30 anos. Desabafo Anônimo: Mais um aborto. O que pensar quando descobrimos que depois do primeiro aborto espontâneo, em que a notícia foi recebida como um soco no estômago, mais uma vez e na sequência ela se repete? Na primeira, o bom senso médico muitas vezes orienta que é o acaso…

Acordar com a mão na barriga é terrível

Marianna Muradas, educadora Feldenkrais, 29 anos. Desabafo Anônimo: Hoje eu voltei para a academia e cada vez que o professor se aproximava me perguntando se estava tudo bem, eu tinha que respirar fundo e segurar o choro e respondia que sim, está tudo bem. Mas na verdade… Não estou nada bem e está sendo bem…