Respira, crianças choram

Texto de Elisama Santos, publicado em 11 de julho de 2017, em Tudo Eu por Elisama Santos. Estávamos no avião. Agitação, pessoas andando pelos corredores procurando suas poltronas e guardando malas, o barulho típico desse movimento. Na fileira ao lado uma mãe tentava acalmar o bebê que, diante de todo o barulho, estava nitidamente incomodado….

Eu não consigo sonhar como antes

Eliza, 18 anos. Desabafo Anônimo: Oi, tenho 18 anos, sou órfã desde os 11, moro sozinha em Curitiba, sou negra, sou designer de interiores, tenho uns problemas de saúde, nunca conheci o meu pai, e temo que nunca amei alguém de verdade. Sempre lutei atrás dos meus sonhos, sou da classe média baixa. Sabe quando você…

Dói mais em quem apanha

Por Elisama Santos – 06 Julho 2017 – Tudo Eu Quando vejo um amigo dizendo que agradece as palmadas que levou, que elas o educaram, eu fico pasma. Sério. Meus pais me deram palmadas. E também me deram colo, carinho, fizeram os exercícios da escola comigo, me levaram ao McDonald’s nos meus aniversários, cuidaram em…

Palavras de rejeição e atitudes que não demonstravam amor

Anonima,1 filho, Administrativa, 39 anos Desabafo Anônimo: A minha infância foi marcada por defender minha mãe do meu pai para que ele não batesse nela. Ouvia todos os dias que quando ele fosse embora o inferno acabaria, mas não aconteceu isso. Quando ele foi embora, o inferno continuou. Palavras de rejeição e atitudes que não…

O bullying​ que passei não me deixa seguir

1 filho desempregada Idade: 26 Desabafo Anônimo: Quando criança eu sempre fui excluída na escola pelas coleguinhas, talvez por ser negra. Crianças às vezes se importam com isso, e isso foi me retraindo. Quando cheguei na 4° série, com 9 anos, eu sofria exclusão, apelidos e agressão física. Eu sofria muito, porém eu não falava….

Estou enlouquecendo e não encontro ajuda

Mônica Idade: 40 Desabafo Anônimo: Tenho três filhos e eles são a minha vida. Desejei cada um deles com toda a força do meu coração. Eu os amo incondicionalmente. São todos pequenos, com menos de 7 anos. Quero que sejam felizes mais que tudo e me proponho a tudo por isso. Mas não consigo. Eu…

Foi uma longa história de abuso e violência doméstica

 Virginia, 1 filho, assistente administrativo Idade: 34 Desabafo Anônimo: Eu tinha por volta dos 6 ou 7 anos, não tinha noção do que sentia. Tinha perdido meu pai aos 3 ou 4 anos de câncer, não me recordo ao certo do tempo com exatidão. Então eu disse à minha mãe : todas as crianças têm um…

Não gosto de brincar com minhas filhas!

Anne, 43 anos, duas filhas, secretária.   Desabafo Anônimo: Não gosto de brincar com minhas filhas! Não é preguiça, só não tenho paciência e nem vontade. Quando vejo psicólogos, professores e pedagogos dizendo da importância do brincar para criança, acabo me cobrando, sinto que poderia dedicar mais tempo às minhas filhas, mas que seja de…

“Minha filha, você não precisa ser uma ‘boa menina”

Texto de Myriam Moya Tena, publicado em 2 de maio de 2017. Traduzido livremente de La intuición de las brujas. Minha filha, você não precisa ser uma “boa menina”, porque as crianças são crianças, não são boas, nem más, e desde que você nasceu, sei que você é mágica e única, como cada menino/a que…

Me faltou “amor de mãe”

27 anos. Desabafo Anônimo: Lendo a matéria sobre “ser abusado verbalmente durante a infância”, lembro (infelizmente) de episódios ruins relacionados a minha mãe. Era um tipo de rejeição e não tinha nenhuma atenção, por parte dela, como as outras mães têm com as filhas, por exemplo, arrumar o cabelo ou perguntar como foi a escola,…

O desafio não é o jogo da Baleia Azul

Uma coisa é o JOGO DA BALEIA AZUL. Outra é o DESAFIO de assimilar qual é realmente a razão para a morte dessas crianças e adolescentes. Jovens estariam se mutilando física e emocionalmente por conta (exclusivamente? será?!) de um desafio propagado via redes sociais chamado Blue Whale (BALEIA AZUL no Brasil). O perfil dos menores varia…

“Aquele monstro em cima de mim não deixava eu me mexer”

Por Ana Toledo – Bolsa de Mulher Atenção: essa é uma história real e foi publicada de forma fiel ao relato da vítima. As palavras utilizadas podem ser fortes e abordar atos sexuais e de violência. Fui abusada sexualmente dos 10 aos 15 anos. Hoje tenho 31, sou casada, tenho dois filhos e mesmo com…