É possível querer e não querer estar grávida ou isso só aconteceu comigo?

em

É muito comum que a primeira sensação de quem descobriu que está grávida, seja a dúvida. Ao descobri a gestação, um milhão de sentimentos ocorrem ao mesmo tempo, inclusive sentimentos opostos, como querer e não querer, estar feliz e triste, amar e odiar essa informação. Quase ninguém está livre desses sentimentos chamados “Ambivalentes”. A ambivalência é justamente, quando uma pessoa diante a uma mesma situação apresenta sentimentos opostos.
A maioria das mulheres ao saberem que estão grávidas, mesmo quando planejada a gravidez, apresenta sentimentos ambivalente. O exame positivo para gravidez deixa essa mulher que planejou a gestação em estado de euforia, mas ao mesmo tempo passa por seus pensamentos algo como: “Nossa! Não esperava que fosse tão rápido”; “Será que era agora o momento certo mesmo?”; “Será que vou dar conta, conseguirei ser uma boa mãe?” entre outros pensamentos semelhantes que dão a característica da ambivalência.
As mulheres que não planejaram e não queriam a gestação, também podem apresentar os sentimentos ambivalentes, pode ser o caso de uma mulher que ao descobrir a gravidez se sente desesperada com a informação, mas ao mesmo tempo começa a se cuidar e a pensar na criança. Muitas mulheres que não desejam a gestação e pensam em abortar ou colocar o filho para adoção, evita ao máximo ter contato com o feto, não se comunicando com ele, não passam a mão na barriga, justamente para evitar que aquele sentimento positivo que ela sente por estar grávida comece a ganhar formato e intensificar-se.
Portanto, estar feliz e não estar com a gestação é perfeitamente normal. Não há nada de errado com quem sente isso. Algumas mulheres, por não saberem isso, ficam muito confusas e até sofrem com isso, achando que só ocorreu com elas. Muitas não têm coragem de conversar sobre isso com alguém, com medo de serem julgadas, algumas até confundem suas emoções achando que porque não queriam estar grávida estão rejeitando o bebê e na realidade não estão rejeitando o bebê, mas sim a situação de estar gravida naquele momento, naquelas condições.
Sentimentos ambivalente são bem comuns no primeiro trimestre de gestação. No segundo e terceiro a ambivalência fica menos evidente, entretanto, em alguns casos ela pode continuar sim e com uma certa intensidade. Em geral para as que continuam apresentar forte ambivalência pela gestação ao longo do segundo e terceiro trimestres também tem maiores possibilidades de apresentar alguma alteração emocional significativa como alta ansiedade, estresse e/ou sintomas de depressão. Dessa forma, é importante que a gestante procure um profissional da saúde mental para uma avaliação, às vezes, apenas uma orientação um acolhimento já basta para tranquilizar a gestante e diminuir a ambivalência.
Portanto, respondendo a pergunta título desse texto, sim é possível e isso é muito mais comum do que você imagina!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s