Maternidade nem sempre é linda.

em

Loh, 1 filha, contadora, 31 anos

Desabafo Anônimo: Boa noite a todos!
Bem, não sei bem como começar, me perdoe pela falta de correção em questão de acentos e outros detalhes ortográficos, mas não estou com paciência para tanto.
Bem, tenho 31 anos, e sinto que minha vida é uma verdadeira desgraça. Tenho uma filha linda, um matrimônio falso, por assim dizer, uma vida frustrada e infeliz. Meu sofrimento começou mesmo quando eu tinha apenas 5 anos de idade, que foi quando minha mãe se separou do meu pai, e eu que era mais apegada com ele, sofri demais até minha adolescência revoltada. Minha mãe sempre me comparava com os filhos dos vizinhos que sempre eram melhores do que eu para ela, e eu, uma praga e várias outras coisas, que ainda dói muito de lembrar porque, de fato, me sinto assim na vida das pessoas que me rodeiam, uma praga.
Cresci, estudei uma carreira à qual detesto, mas descobri isso tarde demais para deixar de lado. Terminei o curso só para ter um diploma. Meu sonho sempre foi fazer veterinária, fiz contabilidade porque na época não existia o curso na minha cidade, e não tinha condições de ir a outro lugar. Passaram se os anos e, no auge dos meu 27 anos, chega o bendito curso na minha cidade. Tentei estudar, mas não tive apoio de ninguém, já que é um curso integral e não me permitia trabalhar, total, deixei de lado o que eu tanto amei e desejei por ser uma mulher de 27 anos com pressão na cabeça para trabalhar porque já não era tempo para isso. Ok, chateada, decidi sair da casa da minha mãe e ir para o mundo. Daí conheci meu atual companheiro e estamos juntos desde então. Engravidei e veio minha filha, daí só piorou a minha vida e a do meu companheiro. Tudo passou a dar errado e o pouco que tinha virou pó. Tenho que trabalhar e ainda levar essa pequena ao trabalho, que é a pior coisa, não só para ela, como para mim, não tenho condições de pagar ninguém, e não tenho nenhum familiar por perto.
Dai começou o estresse, não posso me controlar, tenho mudanças contínuas de humor, não sei lidar com adversidades e momentos difíceis. Meu companheiro parece um estranho, não é meu amigo, esposo, companheiro, nada. Nem me ajuda com a pequena, e eu sinceramente estou muito cansada de cuidar dessa criança sozinha, e ela acaba sofrendo muito porque, por mais que eu não queira, me lembro muito da minha infância. Acabo lastimando e batendo nela, às vezes por casos simples, mas não sei me controlar.
Às vezes, acho que não a amo de verdade, que é como uma obrigação que eu tenho. Só queria um companheiro de verdade, dias de descanso da maternidade, talvez uma vida sozinha. Porque dói muito ver que eu trabalho tanto, me sacrifico tanto, e as coisas vão de mal a pior, fazendo com que eu tenha que pagar dívidas que não fiz, de gastar o que eu não tenho em empréstimo pela estupidez de emprestar um dinheiro que já era emprestado a um suposto amigo que te deixou na mão. Coisas do tipo, me sinto estupida, burra, inútil. Estressada ao extremo, quem paga o pato é minha filha, que quando a vejo dá raiva porque o pouco que sobra é para ela. Sinto falta das idas ao salão, fazer as unhas, alisar o cabelo, porque o meu é cacheado e eu odeio ele cacheado, e, o pior, ele está assim desde que ela nasceu. Não faço mais as sobrancelhas, minhas roupas estão velhas, meus sapatos e coisas pessoais já não existem, sou uma pessoa infeliz e um desastre na vida do meu companheiro, que estaria muito melhor sem mim.
Não tenho amigos para conversar essas coisas, não tenho ninguém para conversar e sinto que vou explodir. Me preocupa minha pequena porque eu quero que ela seja diferente de mim, que ela siga outro caminho, mas assim como a trato, está muito difícil. Maternidade nem sempre é linda, creio que tem pessoas que nasceram para isso, e outras, como eu, não. Obrigada por ler até aqui, espero que alguém que sinta  ou sentiu algo parecido possa ajudar.

 

1 comentário Adicione o seu

  1. Aline disse:

    Oi , quero deixar aqui meu desabafo . Tenho 3 filhos e estou grávida do 4 . Meus filhos não são do meu atual companheiro . Tive que parar tomar meus remédios por conta de uma dor horrível de cabeça que seu tinha . Então fiquei por conta do namorado pedi para que ele se previnir então ele sabendo do risco não se cuidou . Daí veio a gravidez . Daí veio as brigas, as ofensas, ele me acusou de dar o golpe da barriga . Sou cabeleireira tive que parar com algumas atividades como trabalhar com químicas fortes . Então aumentou a despesa para ele . Aí ele começou a me humilhar que tinha que tratar de mim e dos meus filhos . Me chamou de vagabunda vários horrores . Mudou completamente comigo parecia outra pessoa . Até que comecei a passar mal minha pressão subiu fui parar no hospital . Ele melhorou um pouco . Mais as coisas que ele me falou ficaram gravadas na minha mente . Mais vira e meche ele começa a fazer os xingamentos me ofendendo não sei mais o que fazer . Eu só precisava de um pouco de paz pra levar minha gravidez a diante .

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s