Ele nunca me obrigou

em

***AVISO DE GATILHO: ABUSO/ PEDOFILIA***

Natalie, estudante

Idade: 18

Desabafo Anônimo: Bom, tenho dezoito anos, hoje estudante de psicologia do primeiro semestre me vejo extremamente frágil, com problemas do passado que ainda não foram resolvidos. Minha infância durante um tempo foi de uma criança “normal”, onde eu só brincava,e estudava.Com o passar dos anos, meus pais começaram a brigar muito,com agressões físicas e verbais de ambas as partes. A pessoa a qual eu nomeava meu pai, era na verdade meu padrasto, então os familiares deste me tratavam com certa diferença do meu irmão, que era filho biológico dele. Pois bem, como estava dizendo meus pais brigavam muito, minha avó retirava o meu irmão do local da briga, e me deixava do lado de fora da casa dela (que era no mesmo quintal que o nosso), então eu tinha que vê-los discutindo, com total negligencia de familiares, amigos e vizinhos. Foram anos desta forma.Eu sempre fui muito amiga do meu pai, sempre mantivemos muito carinho e afeto um pelo outro, mesmo ele não sendo meu pai verdadeiro,porém quando as brigas com a minha mãe aumentaram,e eles não podiam nem conversar mais, meu pai se aproximou muito de mim, ele me buscava na escola e me levava à minha avó materna, até dar o horário dele sair do serviço e ir me buscar para me levar para casa,depois de um tempo ele começou a fazer caminhos mais escuros e longos, a ir para lugares estranhos , caminhos os quais eu nunca havia visto, começou a passar a mão nas minha coxas.Dizia para eu sentar no colo dele para direcionar o carro, e eu inocente sempre ia, com o tempo os abusos foram aumentando, ele já me pedia para masturbá-lo,deitar de conchinha com ele,ele colocava seu pênis entre minhas pernas,chegava a penetrar mas não tão forte a ponto de romper meu hímen . Lembro de algumas vezes dizer a ele depois que acabava que estava doendo. Porém ao contrário de muitos abusos, ele nunca me obrigou, me machucou, e nem nada relacionado à isso.Mas eu tinha medo de dizer que não queria mais, ou que não estava gostando, então sempre concordei.
Após a separação dos meus pais, eu continuei o visitando porque ele me criou, então é a figura de pai que tenho, e os abusos continuaram também. Minha mãe desconfiou algumas poucas vezes, até me perguntou sobre, porém sempre neguei, apesar de tudo, meu pai não me machucava ou me causava algum mal que não fosse este, eu era pequena não entendia o que estava acontecendo.Durante meu crescimento fui entendo que era errado, e então pedi para que ele parasse.E, para minha surpresa ele parou, disse que a última coisa que queria era me magoar/machucar. Com os anos , tentei apagar isto da minha memória, e ele me tratava como se nada tivesse acontecido, porém as vezes eu sentia seu olhar malicioso, até que um dia ele tocou no assunto,me perguntou se eu lembrava, e eu disse que tinha falhas memórias sobre, e perguntei como aquilo começou. Ele me contou que sempre fui curiosa, que quando tinha relações sexuais com a minha mãe, eu sempre dava um jeito de espiar, que eu adorava entrar no banheiro enquanto ele estava usando, porém não me lembro de nada disso.Disse também que, ele se sentia um monstro pelo o que fazia, e que com isso começou a usar drogas com mais frequência (ele é dependente químico), e de maneira indireta , colocou a culpa disso em mim, disse que o sonho dele seria que eu o masturbasse,agora que sou mulher e sei fazer minhas próprias escolhas, e que isso o tornaria menos “monstro”, de fato discordei, disse que não faria nada de novo e que seu problema era psicológico e que precisava de ajuda profissional.Hoje, quando estamos sozinhos, ele tenta tocar no assunto porém sempre fujo.
Ele sempre me tratou bem , sempre me ajudou financeiramente ou não, sempre conversamos sobre tudo, porém me sinto culpada, e já não sei mais o que fazer, porque isso me atormenta há anos…

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Vc foi obrigada sim! Porém inconscientemente. O que uma criança sabe de sexo, criança pra muitas coisas não tem vontade própria. É facilmente induzida e foi isso que te fizeram. E de alguma forma acredito que ainda esteja induzida a acreditar que isso não te fazia mal ou que ele não queria o seu mal. Se era ele que iniciava tudo como criança como poderia decidir, escolher? Se ao certo sabia pouco ou nada do que estava acontecendo… Bom te aconselho a dar um tempo dele, um tempo longo e se possível procurar ajuda psicológica para ao menos desafar e conseguir entender de verdade tudo isso. Para quem sabe ate um dia contar para sua mãe. Enfim, só quero que entenda que não teve culpa de nada, não provocou nada e estava sim, sendo induzida a acreditar que era consentido. Mesmo que como criança possa algum dia ter gostado do que acontecia. Vc não tinha maturidade pra escolher e tão pouco decidir. Fique em paz! Se cuida.

    Curtir

  2. Mayra mezzomo disse:

    querida futura colega
    Fiquei muito mexida com o seu depoimento. Ele é um pedófilo, narcisista e perverso. Talvez se ele tivesse usado violência seria mais fácil para você separar os sentimentos, mas ele usou o vc que tinha de melhor, que era o seu amor e sua confiança. A na faculdade que você estuda deve ter serviço de psicologia procure se informar você poderá ser atendida.
    Acredite Você merece ser feliz. E fique longe dele, muito longe….

    Curtir

  3. Anonima disse:

    Isso ainda me parece perigoso para você, que apesar de já ter 18 anos ainda é muito jovem.
    Você já pensou em denunciá-lo?
    Ele te manipulou na infância para cometer os abusos e ainda quer te manipular.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s