Tenho que cuidar de tudo, da casa, do bebê e dele também

Sarah, 1 filha, do lar, 29 anos

Desabafo Anônimo: Tenho uma menina de 1 ano. Sou casada há dois anos. Quando engravidei não foi planejado e passei toda a minha gestação angustiada e com medo. Trabalhei muito na gravidez e acho que fiquei muito cansada nesse período. Trabalhava fora e ainda tinha o serviço de casa. Meu marido me ajudava muito pouco, tinha que ficar pedindo pra fazer isso e aquilo. Quando o neném nasceu me senti mais sobrecarregada e insegura. Minha mãe me ajudou muito, mas ouvi comentários dela que me deixaram desmotivada, me sentindo incapaz. Os meses foram passando e ela crescendo, as coisas ficando mais difíceis pra mim. Não voltei a trabalhar porque sentia que não daria conta do trabalho, da casa e do bebê. Foi uma decisão muito difícil. Hoje vejo as mulheres nos seus trabalhos sorrindo e me sinto mais triste ainda. Me sinto cansada. Meu marido disse que não precisa me ajudar porque ele vai sair cedo pra trabalhar e eu vou dormir, mas a minha jornada é de 24 horas. Meu bebê ainda acorda várias vezes à noite, ultimamente, mais ainda. Minha mãe continua me ajudando, mas tenho que ouvir do meu pai que não sou boa mãe como as mulheres de antigamente, que cuidavam de várias crianças e eu não tenho paciência com uma apenas e fico reclamando. Estou vivendo em um mar de nervosismo. A minha vontade é de deixar tudo, mas não posso. Sinto falta de um tempo pra mim, só pra eu ver um filme, ler um livro, cuidar das minhas unhas. Pro meu marido me ajudar, tenho que ficar pedindo e pedindo, desisto de pedir, cansei. Também ele acha que como não trabalho fora, tenho que cuidar de tudo, da casa, do bebê e dele também. Mas quem cuida de mim? Ele tem o tempo dele, pra fazer as coisas que ele gosta e eu, desde que o neném nasceu, não sei o que é isso. Queria voltar atrás, pra minha vida de antes. Acho que fiz as escolhas erradas pra minha vida. Tenho pena da minha menina, que está com 1 ano, ter que aturar uma mãe que só chora, não tem paciência pra brincar e nervosa com ela. Não converso com mais ninguém porque só recebo maus julgamentos. Me sinto abandonada, sozinha, sem rumo. É isso.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Tatiane Miguel da Silva disse:

    Sinta-se abraçada! Sei bem o que vc está passando. Se quiser conversar…meu insta @tatianemigues

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s