Sinto fome pelo turbilhão hormonal que ainda vivo do pós parto.

Anônima, 2 filhos, jornalista, 34 anos

Desabafo Anônimo: Me sinto tão confusa, tão perdida. Há 6 meses fui mãe pela segunda vez. Experiência maravilhosa, de muita cura, principalmente por conta das dificuldades que passei na primeira experiência. Me sinto uma mulher completamente realizada em termos maternais. Ganhei 16 kg na segunda gestação e já perdi 24 kg, ainda gostaria e preciso perder mais 15 kg. Amamento e sinto muita fome, gostaria de ter perdido mais, porém, desde que voltei a trabalhar, tenho sentido mais fome, e não consigo perder mais do que isso, pois como mais também. Sinto mais fome por causa da amamentação (e quanta fome!). Sinto fome quando estou trabalhando, acho que também pelos desafios que estou encontrando no trabalho, e quantos desafios! Eu só me frustei desde que voltei a trabalhar, mesmo zerando minhas expectativas de retorno, não imaginava que muitos se aproveitariam e usariam da vulnerabilidade do momento que vivo hoje como degrau para chegarem em algum lugar. Sinto fome pelo turbilhão hormonal que ainda vivo do pós parto.

Sinto fome para enfrentar as questões de saúde da minha bebê que, desde que voltei a trabalhar, só fica doente, nunca ficou um dia sem nada. Tenho amamentado muito mais vezes durante a noite, o que me faz sentir uma fome absurda e monstruosa.
Meu marido é bastante presente e parceiro, no geral temos um bom relacionamento, com bastante compreensão mútua. Porém nas últimas semanas as coisas estão estranhas e ele tem se irritado com a minha alimentação. Hoje falou coisas muito difíceis de lidar.

Não sei se é o momento mais sensível ou não, mas almoçamos lasanha em casa, hoje estou fazendo home office e a bebê está mamando toda hora porque está doente. Quando eu fui pegar o segundo pedaço, ele me interrompeu com uma voz mais alta perguntando o que eu estava fazendo, onde iria parar desse jeito. Se eu já tinha visto o meu tamanho, e que deveria ter o mínimo de amor próprio (eu estava com taaanta fome, não estava comendo por gula, meu estômago fazia barulhos de fome), que isso é compulsão alimentar, que eu sou orgulhosa e não assumo isso, que fome por causa de amamentação é balela, que isso não existe, não dessa forma. Que se eu aproveitasse o momento da amamentação emagrecia bem mais e já estaria ótima com meu peso, mas que não me cuido. Falou coisas pesadas. E, nossa, como eu gosto de me cuidar. Se estou me cuidando menos hoje é porque não tem dado tanto tempo, não vejo a hora de conseguir dormir mais de 2 horas seguidas, entre outras questões. Na última segunda feira, eu comprei 2 pacotes de bolacha e terminei de comer nessa madrugada, pois não tinha outra coisa e passei as últimas duas noites inteiras amamentando e medindo a febre da bebê. Acordada direto, comi o que vi pela frente, ele dormindo, roncando. Óbvio que hoje ele mencionou isso (foi a única besteira que comi). Eu acho que poderia comer melhor, claro, sempre podemos melhorar, mas acho tão ruim quando as pessoas se conectam com nossos defeitos, nossas fraquezas e fazem questão de deixar isso claro, nos apontando o dedo com toda a força que elas têm. Que fase confusa!

 

3 comentários Adicione o seu

  1. Duarte disse:

    Olá, gostaria de saber como vc está? passei por umas situações parecidas e queria saber o que vc fez? Eu ganhei uma bebe em Março e voltei a trabalhar em Agosto, não foi fácil, eu quase não tinha leite suficiente e tive que tomar dois tipos de medicações para estimular a produção de leite, ou seja, a minha fome triplicou, até por que eu já não sabia identificar a fome emocional da fome física. Mas é engraçado como as pessoas só avaliam a aparência, não se importando se vc está gorda saudável ou magra doente. A maternidade é maravilhosa,mas ser mãe é como se vivêssemos em uma vitrine, onde as pessoas te observam o tempo todo, como vc cuida do seu filho, se sua barriga já voltou ao normal, se vc relaxou ou tem que se manter sempre rebocada e arrumada, pior é o marido que tem que ser o maior apoiador. Pois ele sabia que não seria fácil. Mas tanto faz pra eles, pois eles podem ter vários filhos que continuarão do mesmo jeito, e nós somos cobradas por eles e pela sociedade o tempo todo pela nossa aparência. Mas me diz como vc venceu tudo? ou se não venceu me conta por favor.

    Curtir

  2. Como é que ele pode dizer que fome por causa da amamentação é balela se ele nem nunca amamentou na vida?
    Você tem razão ao se preocupar em se alimentar melhor, mas o que ele está fazendo contigo não é certo.

    Curtir

  3. Fernanda disse:

    Sinta-se abraçada e entendo seu desabafo, essa fase de pós parto não é fácil, e eu estou vivendo esse momento segundo filho, bebê adoece todo mês desde que saiu da maternidade e vivo noites pós noites em claro e a fone é minha companheira, as vezes acho que como tbm por compulsão, não é só fome física é emocional tbm, e estou acima do peso e insatisfeita, mas não vou me crucificar, vou viver esse momento sem carregar mais um peso de culpa e peso toda vez que eu comer, se é isso que me ajuda a me manter um pouco mais leve, nessas cobranças eterna aquele acompanham a maternidade então a seguirei matando Minaj fome fisica e emocional até que eu possa sacia-la de outra forma.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s