Eu tenho medo

Maria, 16 anos

Desabafo Anônimo: E eu lido com ataques de ansiedade, e também lido com uma doença que se chama depressão. Desde pequena que não tenho tido uma infância fácil, pode se dizer que foi traumática. A minha mãe casou-se com um homem rico, que lhe ofereceu uma vida com tudo do bom e do melhor, mas mal engravidou, esse homem tornou se num autentico monstro. Desde o meu nascimento que a minha mãe recebe ameaças de morte do meu pai. Ao longo do meu crescimento fui sempre assistindo a agressões físicas e psicológicas que o meu pai fazia a minha mãe. Foram passando os anos e quando tinha 6 anos, mudamos para uma casa enorme, um jardim lindo e grande, mas o que se passava dentro daquela mansão era o terror. Foi aí, a partir de os meus 6 anos que o meu pai começou a assediar-me, a meter-me a sua língua dentro da boca, a apalpar-me as mamas conforme elas iam crescendo, a entrar na casa de banho enquanto tomava banho e fazia as minhas necessidades, apenas ficava parado a observar me e a rir, incentivava me a ir para a piscina nua com ele nu também, nas manhãs de sábado ou domingo no verão, vinha até meu quarto, deitava-se comigo e roçava se em mim teso. Fui ficando com traumas, as discussões entre os meus pais começaram a ficar cada vez mais graves, até que um dia o meu pai foi longe demais e no meu 5º ano de escola, a minha mãe deixou o meu pai, e divorciaram-se. Fiquei um tempo sozinha com aquele monstro num palácio, sem conseguir contactar com a minha mãe, sabendo que ela não tinha absolutamente nenhum lugar para ir , ela estava sem carro, não sabia nada dela. Aqueles meses sozinha com aquele homem pareciam não ter fim, chorei tanto, pude sentir a minha alma a doer de tanto chorar. Até que um dia a minha mãe foi me buscar, tinham lhe emprestado uma casa, um T0, onde eu fui  viver com ela uns tempos, onde as pessoas nos ofereciam comida, mas juro que de lá eu não queria sair, nessa altura estávamos envolvida em processos e em tribunais porque o meu pai tirou-lhe tudo e não lhe deu nada. Durante esses tempos, eu e a minha mãe estávamos  sempre a mudar de casa, de pessoas amigas, amigas essas que nos deram o golpe do baú, começamos a não confiar em ninguém, isto tudo a passar e eu na escola, mas mesmo assim consegui ter boa notas no exame do 6º ano. Deixei de contactar com o meu pai por opção própria, há 4 anos que não falo com ele. Desde o meu 5º ano até ao meu 10º ano que ainda ando envolvida em tribunais porque, infelizmente, hoje em dia a justiça já não é mais justiça, a justiça é comprada. E eu tenho sentido que o meu passado cada vez esta mais presente, conforme os anos vão passado e eu vou amadurecendo, mais esta angustia , este vazio, esta dor que esta dentro de mim faz sentir cada vez mais, ela esta a vir cada vez mais à superfície. E como qualquer adolescente, eu também tenho problemas e confusões que desejava não ter, como, por exemplo, receber ameaças de 3 raparigas que sei quem são, a dizer que quando me encontrarem vão me bater, ligam e no lugar dela uma vez falou-me um rapaz a chamar-me tudo que é nomes, e, passado um tempo, mandaram me uma sms a dizer que era só para eu me sentir ameaçada. Isto consome-me, eu já não aguento mais, toda a gente me diz que elas não me vão fazer nada, mas agora estão me a maltratar psicologicamente, eu já arranhei o meu braço todo por causa desta situação, e o que mais me assustou foi que eu nem me apercebi do que estava a fazer, depois é que vi o meu braço todo vermelho e arranhado. Eu tenho medo que eu me possa fazer a mim a seguir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s