Uma maldição a me perseguir desde o primeiro abuso

em

Anônima , 2 filhos,  Dona de casa, 35 anos.

Desabafo Anônimo: Há muitos anos atrás vivi abusos sem saber o que significa isso. Na minha cabeça flash e mais flash de terríveis momentos que por mais eu tente não consigo esquecer. Meu primeiro abuso foi quando tinha apenas 4 anos, minha mãe precisava me deixar aos cuidados de uma pessoa para poder trabalhar. O abusador levou-me para cama e passou a língua nas minhas partes íntimas, eu fiquei paralisada só escapei de algo pior porque alguém estava se aproximando de onde estávamos. Com mais idade, aos 7 anos, minha mãe casou-se e fomos morar atrás da casa da mãe do esposo dela. Na frente havia um bar, daí vocês podem imaginar né, passando em frente pra ter acesso a nossa casa fui puxada pelos braços de um bêbado, colocou-me em suas pernas e introduziu seus dedos em minhas partes. Não pude me defender, ele só me soltou porque minha dita avó me chamou… sai correndo! Tempos depois fui tentando me defender sozinha de algo assim. Engano meu, mais uma vez outro abusador, desta vez um homem que morava perto da minha casa, que triste situação! Pra quem eu poderia recorrer, sentia medo, medo pela vida da minha mãe que nunca estava presente, pois estava sempre a trabalhar. Quando achava que tudo havia acabado, que não sofreria mais com isso, mais um abusador, meu padrasto. Aos 9 anos fui abusada por ele, mas sem penetração… Que triste minha infância foi, minha alegria de viver, de ser normal. Nunca contei a minha mãe até o dia em que resolvi enfrentá-lo já com idade de 14 anos. Gritei para minha mãe ouvir o que ele tinha feito comigo, mas ela tapou os ouvidos não acreditando… Na mesma época conheci meu primeiro amor, foi a oportunidade de sair de casa e me ver livre disso. Sentia muito ódio de todos os homens mesmo aqueles que só olhavam de relance, mesmo eu estando com roupas simples que não chamavam atenção. Hoje entendo que tal sentimento como ódio não me fazia bem, me corroía por dentro. Dei a volta por cima, tento ter uma vida saudável com maior cuidado, ainda mais em relação aos meus filhos. Abri mão do trabalho só pra cuidar deles, para que eles não passassem o que eu passei. Mas confesso que ainda me incomodo com os olhares que muitos homens direcionam para mim, é como se fosse uma maldição a me perseguir desde o primeiro abuso, nova, inocente sem defesa alguma… sei que no fundo a cicatriz está presente até o dia em que o Senhor me levar, mas como mãe hoje em dia faço tudo para poupar meus filhos disso, minha filha tem 12 anos, sabe o que passei e é orientada em relação a tudo principalmente a isso. Graças a Deus sou uma pessoa mais tranquila, por ter uma família muito abençoada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s