As pessoas sempre perguntam “e o pai do seu filho?”

Duda, 1 filho,  Jornalista, 23 anos Desabafo Anônimo: No começo de 2017 conheci um cara na Universidade. Ele namorava e vendia os doces que a companheira fazia. Eu gostava de vê-lo, eu o admirava. Certo dia ele me vendeu esses doces e começamos a conversar, mas nada no sentido conjugal, carnal. Até que alguns dias…

O que mais penso é em tirar minha vida

Anônima 19 anos Desabafo Anônimo: Bom, pra início de conversa eu não estou bem mentalmente. Eu pratico mutilação. Já tem um tempo que cheguei a cortar de leve meu pulso. Não estou sabendo lidar com tudo o que está acontecendo na minha vida. Minha mãe está doente. Eu namoro já tem 5 meses e ontem…

Os terríveis ou maravilhosos dois anos?

Por: Crescer sem violência: https://crescersemviolencia.wordpress.com/2014/03/31/terrible-twos-os-terriveis-ou-os-maravilhosos-2-anos/  Taicy Ávila – psicopedagoga Nas proximidades do aniversário de 2 ou 3 anos (algumas vezes um pouco antes, outras vezes muito depois dele), alguns pais vêem-se às voltas com novos desafios no desenvolvimento e criação dos seus filhos. Aquele bebê fofo, dócil e curioso, parece ter sido abduzido por ET’s…

Eu não sou mais eu: agora somos eu e ele.

Anônima, 1 filho de 20 meses, analista administrativo. Idade: 35 Desabafo Anônimo: Meu filho já tem 2 anos. Sempre ouvi dizer que os primeiros meses do bebê são os mais difíceis, mas na verdade estou achando tudo difícil. Cada fase um novo desafio. Meu bebê sempre foi calminho, raramente chorava. Mas de repente tudo mudou….

O que podemos aprender com as tragédias?

Por Paula Osés – Psicóloga Acolhedora da ONG Temos que falar sobre isso – 28/01/2018 Na manhã da sexta-feira (dia 20/10/2017), em uma escola particular em Goiânia – GO, um garoto de 14 anos sacou uma arma que havia pego da família e atirou contra seis colegas de sala de aula e acabou matando dois…

Ou eu largo ele de mão ou aceito isso

Daniele Idade: 19 Desabafo Anônimo: Estou com um cara ha 4 meses, toda semana nos vemos, todos fins de semana estamos juntos e saímos normalmente, combinamos muito. Como eu moro sozinha ele sempre vem na minha casa dormir comigo, eu durmo na casa dele também, ele conhece meus pais, também conheço os dele. Porém a…

Como o atual padrão de beleza afeta nossos filhos

Por Danielle Fava – Nutricionista voluntária da ONG Temos que falar sobre isso – 28 Janeiro 2018 Recentemente, foi revelado o suicídio de uma menina de 11 anos, ocorrido em 2016 na Irlanda, que deixou com última mensagem a seguinte frase: “Meninas bonitas não comem.” Esse caso traz a tona uma reflexão de como os…

Eu gritei. Ele saiu correndo…

AVISO DE GATILHO: ABUSO SEXUAL Anônima, 1 filha, professora… Idade: 23 anos Desabafo Anônimo: Eu tinha 15 anos e o meu amigo era um pouco mais velho, tinha 17… Eu morava no interior e ele me convidou para dormir na casa dele na capital. A mãe dele deixou eu dormir no quarto de hóspedes, lembro-me de ouvir a…

Eu só queria saber por que?

AVISO DE GATILHO: ABUSO SEXUAL/ PEDOFILIA Anonima Idade: 28 Desabafo Anônimo: Quando minha mãe engravidou de mim meu pai pulou fora. Minha mãe deu duro e sempre foi guerreira. Mas, eu via as crianças com pai e meu sonho sempre foi ter um pai. Quando eu tinha 4 anos ele voltou me assumiu e casou com minha…

As vezes eu desejo a morte dela

Gláucia, 32 anos Desabafo Anônimo: Ser Mãe é um desafio diário! Ser Mãe solteira, morando com os pais evangélicos fanáticos é quase enlouquecedor! Minha relação com a minha mãe nunca foi das melhores, depois que minha filha nasceu, até melhorou mas logo vieram os palpites, as cobranças e eternamente o meu “pecado” trazido a tona! O pai…

Sobre culpa, limites e cuspe na testa

Por Elisama Santos. Publicado originalmente em 11 de agosto de 2016. Ela mamava enquanto eu acariciava os cabelos. Os últimos meses foram terríveis. Há muito eu não sentia prazer naqueles momentos. Cada mamada me deixava louca. As inúmeras acordadas noturnas me pareciam uma tortura. Já não dava pra adiar, a transformação da nossa relação era…

Compramos a fórmula. Me senti mais culpada ainda

Nome, quantos filhos e profissão: T., uma filha e recepcionista. Idade: 24 Desabafo Anônimo: Desde que descobri a gravidez, me preparei para ter um parto da melhor forma possível e humanizado, em que fosse respeitado o tempo da minha bebê. Li e estudei tudo sobre amamentação, participei de rodas de gestantes e me dediquei ao máximo. Eu sabia…