Carla Mantovani

Olá, meu nome é Carla, sou Psicóloga com extensão em Psicologia Perinatal, Parental e do Puerpério. Sou mãe de uma menininha de 1a e 8m. Trabalho com psicoterapia em clínica, orientação psicológica on line e como psicóloga voluntária em uma Casa de Parto além do trabalho como Acolhedora aqui na ONG Temos Que Falar Sobre Isso.

Quando eu era criança e brincava de Barbie, minhas bonecas sempre ficavam grávidas, o bebê era a fofolete (ai, entreguei total minha idade agora rsrsrsrs), o pai era o Ken, a barriga era feita com enchimento de paninho e o parto sempre foi natural. E quando alguém me perguntava o que eu queria ser quando crescesse, dizia que seria Médica Ginecologista Obstétrica, porque queria acompanhar partos.

Cresci, a ideia da medicina foi abandonada em algum momento que não me lembro bem e um dia me descobri apaixonada pela Psicologia. Por ter entrado em RH ainda antes de iniciar a faculdade, passei 20 anos no mundo corporativo trabalhando com Desenvolvimento Humano e Organizacional. E a clínica acabou deixada de lado.

Em 2012 ouvi o chamado da clínica, uma necessidade premente e crescente e então pedi demissão e encarei o mundo como autônoma, me colocando no mercado em um novo papel de Coach e Psicóloga Clínica. Mas também tinha outro chamado, ainda maior, que era o da maternidade. Engravidei a primeira vez no final de 2013 e novamente em maio de 2014, mas foram duas perdas gestacionais com 7 e 6 semanas respectivamente. Por conta disso passei o restante do ano de 2014 entre exames e tratamentos e em maio de 2015 me descobri grávida novamente e dessa vez pude seguir com uma gestação tranquila que culminou em um parto natural na Casa Ângela/SP.

Quando engravidei a primeira vez, comecei a pesquisar sobre gestação e descobri horrorizada que parir não era tão simples assim e que estávamos diante de um sistema altamente cesarista, cheio de violência obstétrica, que coloca a mulher no lugar de coadjuvante na cena de parto, sem direitos, sem escolhas, com um corpo “defeituoso” que precisa da mágica intervenção médica para salvar a si e ao bebê. Afinal estamos diante do milagre da tecnologia.

Nesse momento tive a certeza que poderia então juntar um sonho de criança, a obstetrícia, com a minha paixão pela Psicologia e o meu amor pela maternidade. E assim surgiu o projeto em que estou trabalhando hoje e estudando tanto para poder oferecer apoio a mulheres e casais, tentantes, gestantes, parturientes, puérperas e mulheres que vivenciam luto gestacional em qualquer fase do ciclo gravídico puerperal. Esse projeto ainda não tem um nome, pois precisa ser algo que reflita todos esses públicos de forma acolhedora e também tenha um pouco de mim.

Poder ser acolhedora da ONG e Voluntária na Casa de Parto me traz uma grande felicidade. E espero poder ajudar aos que procuram esses espaço de forma acolhedora e com muito amor.

Um abraço
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s