Eu me acostumei a ser a pessoa feia, sem amigos, indesejável, a esquisita

em

Anônima, 29 anos

Desabafo Anônimo: Obrigada por esse espaço.
Minha dificuldade de viver em sociedade começou aos 7 anos na escola. Me tornei uma criança mentirosa para fugir da escola e passei todos os anos escolares totalmente excluída, até o ensino médio quando parei de frequentar as aulas pois já não suportava mais ser a única que ficava sozinha, a que não se encaixava.
Quando criança sempre ouvia minha mãe conversando com minhas tias e primas que eu era estranha, esquisita demais e sem contar a magreza excessiva.
Eu me acostumei a ser a pessoa feia, sem amigos, indesejável, a esquisita.
Achei que com os anos isso acabaria, essa maldita tristeza, falta de confiança, essa dificuldade para me encaixar.
Mas agora cheguei aos 30 anos trocando sempre de emprego, passando boa parte do tempo sem sair de casa é só terminei o ensino médio porque fiz uma prova de eliminação de matérias é isso evitava que eu estivesse dentro de uma sala com outras pessoas.
Meu maior medo hoje é que finalmente entrei pra faculdade e estou morrendo de medo que esse meu jeito atrapalhe meu maior sonho que é me formar.
Eu não quero mais ouvir essas vozes dentro de mim que me dizem que não sou boa o suficiente, que não presto, que não sirvo para nada.

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Barbara disse:

    Talvez vc seja tudo isso mesmo. Talvez vc seja feia, esquisita e excluída por ser diferente. Acho que o melhor caminho pra vc parar de sofrer é se aceitar. Se conformar com o que vc não pode mudar e seguir em frente apesar dos pesares. Eu sempre fui feia. Sempre fui e durante muito tempo isso me doeu muito, principalmente no início da vida adulta, mas depois aceitei. Me conformei com o que eu não posso mudar, o que eu não posso alterar e tento levar a vida da melhor maneira possível. Não me permiti ser infeliz por não ser bonita, por não ser muito sociável. Não. Eu sou a minha melhor companhia e vivo bem assim. Você dá muita importância pra opinião das pessoas a sua volta. Sua tristeza é causada pelo seu constrangimento em não ser aceita. Você já é adulta. Sabe que os laços formados pelas pessoas não são laços genuínos. As pessoas, muitas vezes, usam umas às outras, se desfazem umas das outras com facilidade, não estão nem aí. A opinião delas a seu respeito não vale nada, moça. Eu, diferente de vc, sempre fui sociável, apesar de feia. Nunca fui tímida, sempre conversei e me comuniquei com as pessoas e, mesmo assim, nunca, desde que eu era muito nova, nunca me senti tendo amigos de verdade, só colegas, pessoas que estavam comigo pra se entreter, se divertir. Acredite, vc não está perdendo nada em ser mais retraída, às vezes, está evitando sofrimento para si mesma, decepções, etc, ainda mais, agora, nessa fase da vida. Colega, ser só não é tão ruim assim, muito pelo contrário. Você tá tão preocupada com o que vc não tem, que não está pensando no que pode ter, no que pode desenvolver em outras áreas da sua vida. Realize seu desenvolvimento pessoal, apesar dos outros, vá estudar, viajar, trabalhar naquilo que gosta, fazer coisas que goste e fds o resto. Seja feliz, apesar dos outros. Não dependa da aceitação de ninguém.
    Tem um link que acho muito interessante, embora vc não tenha falado de casamento, o autor do vídeo trata de desenvolvimento pessoal, então…

    Curtir

  2. Ceci disse:

    Busque ajuda de um psicólogo. Faculdades geralmente oferecem esse serviço gratuito.
    O que eu posso te falar é: você não É assim. Você SE vê assim por uma imagem que sua mãe formou de você.
    Toda criança mente.
    Toda criança em determinada fase da vida se torna desajustada, mas superamos isso.
    O que foi que voce perdeu lá atrás?

    Curtir

  3. Taiana disse:

    Querida. Vc é importante.vc é especial. Ninguém é igual a ninguém. Descubra o seu melhor. Nao pelos outros mas por vc msm. Pare de tentar se encaixar e se descubra. Agrade-se a si mesma. O resto é consequência.busque ter paz com vc mesma e não com o mundo.creia num Deus q te fez assim pq aos olhos dele vc importa.

    Curtir

  4. Helena Cardoso disse:

    Me identifiquei com o relato, me sentia assim tbm antigamente e até hj vejo vestígios em mim, me senti assim pois principalmente me sinto rejeitada, por uma mae q me deu a parentes um dia depois q tinha nascido, dpois essa sensaçao foi recorrente após um abuso q sofri pelo marido da minha tia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s