Se eu quiser ir embora as portas estão abertas

em

Anonima, 23 anos

Desabafo Anônimo: Sou casada ha 4 anos, tenho um filho de 3 anos. Meu Marido tem 10 anos de diferença e é o único que trabalha. Ele e eu optamos por eu ficar em casa cuidando do nosso filho já que moramos em uma cidade distante da nossa família. Quando meu esposo entrou nesse emprego novo eu senti que ele mudou muito. Percebi que ele se sente bem em me machucar com palavras frias e negativas. Não me dá atenção, e sempre quando pode faz questão de passar na cara o pouco dinheiro que me dá. Em uma briga ele disse que se eu quiser ir embora as portas estão abertas. Chorei muito! Eu cuido da casa e do nosso filho. Sempre que ele chega a comida esta  pronta e ele simplesmente diz que não faço nada. Nas brigas vem querer se vitimizar. Ele está com a vida dele feita, é concursado. Eu tenho 23 anos e o ensino médio apenas. Tenho muita vontade de poder estudar e passar em algo pra resolver a minha vida. Mas, tempo que não tem. Cuido do nosso filho, levo para o colégio , vou buscar, meu filho é alérgico a algumas coisas e a cidade que moramos é insalubre. Que só piora a saúde do meu filho. Sofro muito por não ter tempo, e ele ainda sim, insistir em me machucar. Fala com ignorância sempre. Eu sinto que ele não gosta mais de mim. Não quero voltar para casa da minha mãe, onde moram 2 irmãos meus e a casa é pequena. Ele é um bom pai, isso não tenho o que negar. Só não é um bom marido. Me vejo como uma pedra no seu sapato. Que quando ele quiser me descartar, não pensará 2 vezes. 💔

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. GABRIELLE C MENDES disse:

    Menina, isso é muito difícil.
    O que posso te dizer. Tenho curso superior, trabalho e ganho o mesmo tanto que o meu marido. Depois que nos casamos a relação só vem piorando. Depois que tivemos filho está terrível, ele não me procura e quando reclamo ele fala que estou doente, tive depressão pós-parto. Ele diz que não me amo, que fico procurando a felicidade nele e que a culpa do nosso casamento está da forma que está é toda minha. Enfim, independente de ter ou não salário, estudo etc, o que mais precisamos é coragem e, sobretudo, confiança em nós. Somos pessoas e temos muito valor. Buscar ajuda pode te ajudar, pois este tipo de violência mina nossa autoestima e amor próprio. Não deixa que isso aconteça contigo.Forca.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s