Tenho um anjo maravilhoso no céu

em

Luciene Canedo, 1 anjo, técnica ambiental, 31 anos.

Desabafo Anônimo: Olá, hoje faz exatamente 60 dias que meu anjo veio ao mundo. E um anjo escolhido por mim e pelo papai.
Durante toda a minha vida nunca pensei em ser mãe. O egoísmo era grande em minha vida. Mas no ano passado essa vontade se tornou enorme em minha vida. Eu precisava ser mãe, pensava todos os dias que não poderia acabar sem um filho a quem cuidar e amar profundamente.
Meu marido tem três filhos de outros relacionamentos, mas mesmo assim concordou em ter este filho comigo, já que eu não tinha nenhum. Parei de tomar meu remédio e em dois meses estava grávida. Quando peguei meu exame positivo me senti a pessoa mais especial do mundo. Contei para o papai e para minha mãe e todos ficaram muito felizes! Marquei imediatamente consultas para saber como meu filho estava. Fui ao médico e ele pediu exames e ultrassom, realizei todos os exames e todos ok. Meu primeiro ultrassom foi muito emocionante ao ouvir o coração do meu filho bater.
Minha gravidez foi ótima, eu praticava atividades físicas por recomendação médica, comi muito bem e estava extremamente feliz. Cada consulta e cada exame eram só sucessos. No morfológico vi a carinha de meu filho perfeitamente e era só vitória a minha vida.
Com 5 meses parei a academia pois acreditava que estava bom o quanto havia me esforçado. Tudo corria bem, o quarto de meu José Afonso estava montado, as roupas compradas, lembranças; etc, enfim tudo, pois nunca fui uma pessoa de esperar.
Num domingo acordei e fui passar o dia com a minha mãe, estava ótima e feliz. Mas com uma pequena cólica, mas como não tinha experiência achei normal a dor. Meu marido me apanhou na casa dela e me levou para casa. A dor só aumentou e eu pedi para ser levada ao hospital. Com 26 semanas de gestação meu filho estava nascendo e a princípio sem qualquer explicação. O médico me deixou a par da situação e que aquele não era o melhor quadro para meu filho. Ele veio ao mundo de parto normal e sem sofrimento algum, lutava para respirar pois seus pulmões não estavam formados ainda. Pedi, implorei para que salvassem a vida dele e o pediatra disse que faria o possível. E ele fez, na cidade não havia vagas de UTI, então ele montou uma UTI improvisada e não descansou até conseguir uma vaga para meu filho. Na manhã do mesmo dia conseguiram transferir meu anjo para outro hospital. Eu também ganhei alta no mesmo dia e já fui direto conhecer o local onde ele passaria os próximos três meses.
Uma caixinha transparente, quentinha serviria de abrigo para ele fora da minha barriga.
O médico que nos recebeu não deu muitas esperanças, pois a situação dele era realmente muito ruim, estava entubado e pesava apenas 835 gramas. Podia contrair várias infecções e o próprio oxigênio era um inimigo para ele. Saí dali desolada mas confiante que iríamos passar por aquilo e iríamos vencer.
E assim foram longos 46 dias de idas e vindas, sangramentos, infecções, vitórias e lutas, o pouco leite que produzia levava pra ele se alimentar. E quando recebi a notícia que meu filho iria ser extubado. Quanta felicidade, não cabia no peito. Agradecia a Deus o dia todo por isso. Mas infelizmente o pulmão não estava em condições de ser extubado. E de um dia para o outro eu perdi meu filho, sem qualquer explicação, exatamente como havia sido seu parto prematuro; sem explicações, ele esperou nossa visita para se despedir, havia piorado à noite e nada podia ser feito. Após 40 minutos que saímos do hospital, ele descansou. Peguei ele pela última vez, agradeci, me despedi dele e hoje com 14 dias que o perdi estou aqui para dizer que não existe dor maior e mais intensa; ela é extremamente forte, parece que nós perdemos um enorme pedaço. E eu realmente perdi, perdi meu sonho, meu desejo, minha esperança, perdi tudo. Mas eu também preciso lutar para recuperar isso, pois senão eu estarei morta em vida. Questionei a Deus várias vezes o porquê, mas de nada vai adiantar pois a resposta não o trará de volta pra mim. Quero apenas me recuperar e saber realmente o que causou este parto prematuro, pois todos os exames pós parto e até a biópsia da minha placenta foi feita e nada constatado. Hoje peço a Deus que ele me conceda o dom de exercer a função de mãe mas na hora certa, não quero de forma alguma misturar esses sentimentos, preciso viver esse luto para assim seguir minha vida e ser mãe novamente. Tenho um anjo maravilhoso no céu olhando por mim e que eu amo infinitamente. Te amo meu filho, você é meu bem mais precioso! O meu José Afonso!

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. GISELE disse:

    Linda tua historia, voce foi preparada pelo Jose Afonso para ser a mãe que lá atras não quis, ele veio te mostrar que voce é e pode ser uma mãe maravilhosa e tem forças para suportar todo o processo da gestação ao nascimento e crescimento, sim esse anjo veio te ensinar e analise o que mudou em voce desde que o concebeu força para suportar esse luto e não desista da ideia de ir buscar o filho amado e sonhado o irmão ou irmã do Jose, fica com Deus.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s