Acontece que eu não queria ser nada disso

em

Anônima, bióloga, 1 filha, 30 anos.

Desabafo Anônimo: Eu estou extremamente ansiosa e preocupada com o futuro. Também estou exausta. Eu termino meu doutorado em julho desse ano e não tenho nenhuma perspectiva de emprego ou bolsa de pós doutorado. Estudei a vida toda e agora não vejo um futuro. Além disso, tenho uma filha de 3 anos, cuido sozinha dela. Eu repasso os últimos anos e não consigo deixar de sentir um arrependimento enorme. Sinto que me dediquei pouco ao doutorado (fiz o máximo possível, mas foi pouco). Não tenho um currículo tão bom quanto poderia ter. Eu engravidei acidentalmente no início do doutorado, mesmo tomando pílula, aconteceu. No início, fiquei desesperada. Pensei diversas vezes em interromper a gestação porque sabia que ia ser uma barra. O pai implorava para eu não fazer o aborto e prometia mundos e fundos. Ele ainda acha que é o melhor pai do mundo (mesmo ficando com ela, no máximo, 5 dias por mês). Naquela época, por mais que eu soubesse que os homens não são confiáveis e que filho é muita responsabilidade e dá muito trabalho, eu não podia imaginar que a maternidade seria tão restritiva, me tiraria tantas oportunidades profissionais e me faria tão infeliz. Eu sinto tanta falta de quem eu era e do tempo que eu tinha pra fazer tudo que eu gosto. Meus amigos não me convidam para mais nada (nem sei se ainda são meus amigos). Passo os finais de semana e feriados em casa cuidando das minhas tantas obrigações… Cuidar da casa, lavar, passar, cozinhar, estudar, trabalhos extras e a minha filha que demanda tanto tempo e atenção que eu me sinto sufocada. Além de lecionar e estudar, eu também vendo de tudo para complementar a renda, lingerie, sex shop, roupas, cosméticos, ovos de Páscoa etc etc… Eu estou sempre correndo, cheia de sacolas, sempre atrasada, sempre sem dinheiro. Aí quando tento desabafar, as pessoas dizem: “mas você é uma guerreira, um exemplo de mulher”. Acontece que eu não queria ser nada disso. Eu só queria ser uma cientista competente e ter um pouco de tempo e dinheiro para viajar. Mas estou confinada em uma vida medíocre que me deprime. Enquanto escrevo esse texto, vejo a sala da minha casa completamente bagunçada, minha filha já sujou o uniforme da escola, derramou leite no sofá e fez mais um rabisco na parede da sala. Eu só queria me entupir de remédios e ficar bem chapada para não ver nada disso. Mas o mínimo que ela merece é uma mãe sóbria. E eu? Qual é o mínimo que eu mereço? Acho que ninguém se importa!

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Ilma Brito disse:

    Bom dia querida,li esse desabafo e senti um aperto na garganta,há algum tempo atrás eu tbm me senti um fracasso de mulher,vi muitos dos meus sonhos indo embora aos poucos…
    Mas sabe aprendi com isso,que depois de ser mãe eu podia continuar sonhando sim,mas comecei a ver a vida,ou melhor viver a vida com outros olhos…
    Percebi que cada dia é uma nova oportunidade de respirar fundo e agradecer por tudo que já tinha conseguido.
    Vc é uma pessoa brilhante sim,conquistou muitas coisas até agora e vai conquistar mais muito mais…
    Aproveita o tempo que vc tem agora com sua princesa,olha como ela é linda e te ama,sorri com olhinhos brilhantes ao te ver.
    Vc não imagina como é importante para ela,e tenho certeza que vc tbm é muito importante para as pessoas que realmente te ama…
    Essa é uma fase vai passar …
    Sinta se abraçada vc não esta sozinha .
    Bjo grande no coração

    Curtir

  2. Tatiane disse:

    Eu te entendo. Passei quatro anos estudando, engravidei no último ano ro curso. Era estagiária , pagava a faculdade com bolsa. Estágio remunerado não tem direitos,clt, qualquer coisa parecida.Assim que conclui o curso ela nasceu, me vi com uma criança nos braços e zero pespectivas profissionais.
    Tentei concurso na área, mas não era boa o suficiente ou não estudei o necessário para passar. Vendo cosméticos, lingerie. Tento complementar a rrenda familiar, só que falta, não sei a tempos o qur é ter dinheiro para sair, comprar algo pra mim.
    Estou mandando currículo, mas pedem experiência na área. Como assim, acabei de terminar o curso?
    Minha filha fará em breve 2 anos, e muitas vezes só quero sumir, voltar no tempo , fazer diferente. Sei lá, esta um caus.

    Curtir

  3. karinepsm disse:

    A maternidade realmente não é tão romântica como um comercial de fraldas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s