É um desabafo de uma mãe triste. Muito triste e decepcionada…

1 filha, professora

Idade: 33

Desabafo Anônimo: Sou mãe de uma menininha de 2 meses. Foi uma gravidez planejada e muito tranquila. No fim da gravidez meu marido começou a me tratar de modo estranho, mal me dava um beijo no rosto quando chegava em casa. Um dia disse que estava difícil sentir atração por mim, pois estava com medo de machucar a bebê e que me via tal como via a mãe dele (de matar isso né!).

Até então seria parto normal, mas acabei fazendo cesárea por algumas complicações. Contrariada, mas fiz a cirurgia. Eu sempre achei que teria total ajuda da minha mãe, ao menos era isso que ela me dizia: “fica tranquila que te ajudarei”. Mas o resultado é que tem 2 meses que cuido sozinha da bebê. Ela vem quando pode e fica umas 2 horas…e é a primeira neta dela. Eu que me viro com os choros demorados, com a roupa pra lavar, com os banhos…

Marido ajuda no que pode, mas o fato de ficar o dia todo com ela sem poder comer direito sou eu que passo né… Nunca fui de chorar, mas agora estou tão cansada e frustrada que não passo um dia sem chorar. Continuo sangrando desde o dia da cirurgia e o resultado foi uma anemia. E meu marido ainda vem com indiretas: “nossa, não vejo a hora de te ter de volta”. Poxa, ele não se preocupou em momento algum com os meus desejos, só com ele e agora vem com isso?!!?!?!?!

Sem contar que ele nem me olha do pescoço pra baixo…claro, antes eu tinha um corpo lindo e agora estou com uma barriga como se estivesse grávida de 4 meses…

Tem dia que choro muito, me arrependo da gravidez, aí me arrependo dos meus pensamentos e choro mais um pouco…Bom, é um desabafo de uma mãe triste. Muito triste e decepcionada…

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Pode ser um baby blues, mas pode se transformar numa depressão pós-parto. Converse com seu companheiro e busque ajuda. É normal se sentir só no puerpério, procure um grupo de apoio de mães. Uma rede de apoio é fundamental nessa fase.

    Curtir

  2. Poliana Cunha disse:

    O desabafo é anônimo. Mas reflete a situação de várias mães de primeira viagem desse mundo. Eu ainda não sou mãe. Também não sei se serei e seja o que Deus quizer um dia serei. Sim, voltando, cara amiga, sua dor é muito comum a muitas mães de primeira viagem. Nós, mulheres fomos criadas para não depender de ninguém, e o homem foi criado para não se preocupar e não satisfazer nossos desejos. *resquícios da sociedade machista em que vivemos. SEU BEBÊ FOI PLANEJADO E AMADO, ame-o, sem culpa se sentir cansada no fim do dia, ame -o, sem sentir culpa da exaustão da amamentação, ame seu bebê. Você é mulher ainda, você tem um novo corpo agora, um corpo que gerou uma nova vida, um pedacinho seu esta agora fora de você e que sei que você ama mais que sua propria vida. Cuide do seu sangramento. Cuide de você, aceite que vc mudou, seu corpo mudou, suas vontades de desejos mudaram, e com o tempo você vai achar seu rumo de novo, vai se conhecer de novo. Uma nova mulher nasceu juntamente com seu bebê. Fale, peça ajuda do seu marido. A maioria dos homens foram criados para ter suas vontades satisfeitas, isso justifica ele associar vc na fase final da gravidez, a mãe dele, ele ja te ver como mãe apenas, e não como mulher, agora, sem a gravidez, ele voltará a te ver como mulher. Mas lembre, e permita que ele seja pai, assim como vc está sendo mãe, atribua responsabilidade do bebê a ele tbm, deixe-o trocar fralda, deixe-o da banho, o homem tbm tem instinto de criação e de cuidado, deixe despertar isso nele tbm. Permita que ele sinta o lado difícil de ser pai, o de alentar e cuidar qdo você estiver cansada. O bebê é responsabilidade dos dois. Cuide-se, não é fácil essa fase. Mas vc ja deu o primeiro passo, pediu ajuda. Desabafou, pôs pra fora sua dor. Continue transpondo esses sentimentos. E não se culpe tanto. Força!

    Curtir

  3. Ligia disse:

    Querida, procure ajuda!! Tome cuidado para isso não se transformar em uma depressão pós parto, explique para a sua mãe que você está esgotada, cobre do seu marido mais participação, afinal isso é OBRIGAÇÃO dele, e não uma “ajuda”. Você não precisa dar conta do mundo sozinha. É impressionante como as pessoas acham que os filhos são de responsabilidade somente da mãe.

    Curtir

  4. Caroline disse:

    Querida….. Os primeiros meses são mesmo muito, muito difíceis…. Entendo a sua agonia e seu desejo por ajuda e acho que esse é um desejo válido. Mas mesmo que ele não venha, saiba que as coisa melhoram a cada dia. Juro, juro, que essa fase é horrível, mas ela passa. Juro que passa!!! Força!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s