Odeio ser mãe do fundo da minha alma

Lia. 1 filho. Doméstica.

Idade: 18 anos

Desabafo Anônimo: Bom, eu tenho 18 anos e com 17 anos engravidei, logo depois de uma crise no meu relacionamento. Engravidei fazendo uso do anticoncepcional, sendo que tomava escondido pro meu marido não saber, já que ele tanto queria um filho. E eu longe disso, odiava crianças. Meu marido sempre foi prestativo e carinhoso e me fazia sentir amada e realizada, até a gravidez. Meus surtos hormonais e de depressão eram constantes e ele ficava furioso e me odiava todos os dias. O bebê nasceu, ele esteve muito feliz, e eu também, era uma época boa e cheia de luz. Até que o tempo passa, e meu doce e amável marido se tornou algo irreconhecível. Eu uma feminista que tinha um marido pró feminista, hoje tenho um carrasco, sem coração e que vive constantemente com a cara fechada, que não me dá carinho e acha que eu sou escrava e que reclamo de tudo, mas é porque eu ainda odeio crianças. Veja bem… Eu amo meu filho acima de todas as coisas, mas odeio ser mãe do fundo da minha alma, tudo que eu não queria aconteceu na minha vida. Nunca eu teria coragem de dizer isso a outras pessoas pois os julgamentos serão absurdos. Mas eu odeio ser mãe, odeio amar meu marido, odeio o fato dele não sair, não me trair, não errar pras pessoas verem, porque isso o faz perfeito pra todos e eu como errada já que não valorizo o único homem santo da terra. Eu todos os dias quando acordo penso em voltar pra casa da minha mãe com meu filho, mas eu amo meu esposo, amava o que vivíamos, é difícil se desapegar do passado tão feliz que nós tínhamos. Hoje eu sinto medo dele, muito medo. Quando o bebe cai ele me culpa, quando o bebe adoece ele me culpa, me culpa pela bagunça constante da casa, me culpa pelos problemas do trabalho inclusive. Eu sou mãe solo mesmo tendo marido, pois ele mal pega no bebê. Eu já pensei em me suicidar tantas vezes. Tenho medo do problema ser eu e ele realmente ser a única pessoa que presta na terra e eu estar perdendo ele, por isso nunca me separei. Eu não me sinto mais viva, a maternidade e meu esposo que vive com a cara de nojo, como se fosse obrigado estar comigo, tirou isso de mim. Eu estou parada, sem rumo, sem vida. Meu marido não gosta de sair comigo, nem gosta de ver bonita e feliz, me sinto como um cachorro de rua abandonada, que todos passam e vêem, mas ninguém repara na dor mais profunda que está estampada.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Erika disse:

    Oi querida, sinta-se abraçada nesse momento. Eu não posso imaginar o quanto você está sofrendo, mas ao me separar do meu antigo marido e casar com outro que valia a pena aprendi que as pessoas sempre vão falar mal da gente. Não importa se você seja correta ou não, que sofra ou não, o que move as pessoas é falar da vida alheia.
    Só que eu aprendi uma coisa nessa minha vida: as pessoas falam, mas jamais vão te ajudar a pagar as suas contas, jamais estarão ao seu lado quando as lágrimas rolarem e a tristeza vier para te dar um apoio. Eu ouvi gente falando de mim quando me separei, mas não me arrependo nem por um segundo de ter largado o homem lixo com o qual me casei.
    Depois encontrei alguém que valia mais a pena e segui em frente. Talvez antes de pensar sobre esse amor que você sente por ele, seja o momento de você pensar o quanto ama a si mesma, por se permitir sofrer todas essas coisas ao lado de um homem tão sem coração. Você é jovem, pode recomeçar a sua vida, mesmo com seu bebê. Não deixe sua vida e seus sonhos passarem por causa disso. Tome as suas decisões sem medo, pois você pode sim recomeçar e pode sim exigir ser amada e respeitada.

    Não ligue para as pessoas, querida. As pessoas passam, mas sua felicidade deve ficar para sempre. Ela é a mais importante.
    Bjos de luz.

    Curtir

  2. Lalo disse:

    Minha amiga, que angústia, antes de tudo queria te dar um abraço bem forte e demorado. O seu marido não é a melhor pessoa do mundo, afinal, a melhor pessoa do mundo trataria bem você e seu bebê (dentre outras coisitas mais, né), ele não é a melhor pessoa do mundo e talvez nao seja mais a pessoa pelo qual vc se apaixonou e ainda ama. Não espere as coisas piorarem, por vc e pelo seu filho, tente ir ou para sua mãe, ou para um canto só vc e o bebe…. Não permita que essa situação prossiga por muito temo pois isso fará muito mal a todos vcs. Rompa para que todos os três possam ser felizes. Permita que o universo traga novas felicidades para você, para permitir você precisa abrir espaço. Cuide-se e continue tentando melhorar e se sentir bem, vc é uma mulher incrível e muito capaz de ganhar e conquistar o que quiser nesse mundo. Confie em si minha irmã, vc vai conseguir resolver esse momento, continue lutando. Mega beijos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s