Ninguém entende como é difícil lidar com uma criança autista

Nome, quantos filhos e profissão: Talita, um filho, dona de casa

Idade: 26

Desabafo Anônimo: Casei com 18, fiquei gravida com 20. Hoje eu tenho 26 e meu filho 5. Ainda sou casada. Meu filho é autista moderado e deficiente auditivo, também de nível moderado, nos dois ouvidos.Ele precisa de cuidados intensos por isso não trabalho, não conclui meus estudos e não faço mais nada da minha vida. Às vezes eu quero desaparecer, pois lidar com o fato de que eu não fiz nada do que eu sonhava, é demais pra mim.
Ninguém entende como é difícil lidar com uma criança autista. Ou fingem que entendem.
Ele dá crises quase todas as vezes que saímos. Crises de chorar, morder, se machucar, se jogar no chão e gritar bem alto. Nem preciso dizer que não posso ir em qualquer lugar e que sair pra passear é uma tortura. As pessoas que vêem a situação durante uma crise, fazem cara feia, torcem o bico e ficam falando maldades. Nem disfarçam, fazem isso na minha cara mesmo. E eu engulo o choro de desespero e tento acalmar meu filho, enquanto sou reprovada por todos, ninguém ajuda. Acham que é birra.
Nem preciso falar que perdi todos os amigos que eu tinha.
E por não trabalhar eu nunca tenho dinheiro, dependo do dinheiro do meu marido, que por mais compreensivo que seja, não é fácil ficar pedindo as coisas pra ele.
Às vezes eu lido com o meu filho gritando o dia todo e chega no final do dia, ajoelho embaixo do chuveiro e fico lá chorando por vários minutos. Me sinto na maioria de meus dias sufocada e morta por dentro. E nem posso me matar pois meu filho depende de mim 24 h por dia. Amo meu filho, mas se pudesse voltar no tempo nunca teria engravidado.

Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. Maria disse:

    A grande questão é a grande dificuldade psíquica da Mãe de como lidar com isto e como abala sua estrutura, por isso a pergunta, por isto da pergunta? Aguardo sua resposta ansiosamente!

    Curtir

  2. Neila disse:

    Querida Talita, talvez pessoas não entendam mesmo por falta de conhecimento. Agora mesmo estou me perguntando: se eu encontrasse com você e seu filho, eu entenderia ou pensaria ser birra e teimosia de uma criança que não foi educada?
    Somos falhos em apressar nosso julgamento de algo que sequer conhecemos e de nos colocarmos no lugar do outro.
    Neste momento é normal você se sentir assim, impotente, incapaz e incompetentes. Todas as mães se sentem assim, em maior ou menor grau, conforme suas dificuldades. Fomos criadas para sermos perfeitas.
    Busque ajuda para seu filho em alguma instituição especializada em tratamentos com crianças autistas. Você vai ter que preparar seu filho para a independência e com isto, você vai conseguir reconquistar a sua independência e liberdade também.
    Peça ajuda a familiares. Talvez com o tempo e maior convívio com seu filho, alguém possa substituí-la algumas horas por semana e você consiga ter um tempo só seu. Vai ser pouco mas vai ajudar muito.
    Quanto a depender financeiramente do seu marido, converse com ele, explique como você se sente. Talvez seja a hora também de você verificar com um advogado a possibilidade de seu filho receber alguma pensão do INSS ou até mesmo você por ser a acompanhante integral dele.
    Tenha fé! Isto vai passar mais rápido do que você imagina. Daqui a pouco as dificuldades vão estar superadas e você vai olhar pra trás e se perguntar como conseguiu ser tão forte.

    Curtir

  3. franciele disse:

    Olá Talita,
    Eu sei muito bem pelo o que você passa.
    Eu sou tia e em tempo integral de um garotinho com autismo.
    Meu sobrinho tem 9 anos e mora comigo e eu cuido dele junto com minha mãe a avó dele.

    Nosso Tiago também já passou por muitas crises, nós ficamos praticamente 6 anos sem sair de casa, sem frequentar reuniões familiares, por causa das crises dele e também para respeitar sua condição, condição de não querer ver pessoas, não suportar barulhos e muita agitação….
    Hj passou, hj frequentamos reuniões familiares novamente, levamos ele á igreja, festinhas, pq com a ajuda das terapias e por ele ter crescido ele consegue controlar suas crises e agora nós tb já o conhecemos ao ponto de saber qdo é um dia bom para passeios ou não.
    Fique firme vai passar e você vai conseguir… e quanto aos outros, deixa eles olharem, deixa falar… com o tempo vc vai aprender a lidar com isso e não vai te abalar mais, pq o q importa é o bem estar dele
    Um grande abraço.

    Curtir

    1. Maria disse:

      Olá Cara Franciele, e a Mãe desta criança,digo do Tiago???

      Curtir

      1. Maria disse:

        Cara Franciele,
        A grande questão é a grande dificuldade psíquica da Mãe de como lidar com isto e como abala sua estrutura, por isso a pergunta, Aguardo sua resposta ansiosamente! Maria

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s