Sinto o peso em meus ombros de responsabilidades que não são minhas

Anônima, sem filhos, estudante, 24 anos.

Desabafo Anônimo: Pensei inúmeras vezes antes de fazer esse desabafo…
Não tenho filhos, muito menos perdas gestacionais, mas lendo os depoimentos e comentários desse site, me senti mais a vontade de falar…
Me sinto até hipócrita de reclamar da minha vida, depois de ler tanto depoimentos sobre perda gestacional e quanto sofrimento isso traz.

Cada dia que passa eu me sinto mais sozinha.
Eu tenho um namorado maravilhoso, ele faz coisas para mim que sei que muitos homens casados não fazem para suas esposas.
Mas mesmo assim eu teimo em ver seus defeitos.

Eu tenho uma grande mágoa do meu pai, que desde sempre conseguiu estragar e atrapalhar a minha vida. Nunca foi um homem carinhoso, com seu orgulho nos fazia passar fome, pois não aceitava empregos que fossem fora de sua formação. Hoje em dia não é diferente, somos minha irmã e eu que mantemos a casa com nossos salários que não são lá grandes coisas, pois hoje em dia é tudo caro e ainda mais que tem o aluguel.

Eu me sinto sozinha, eu me sinto burra, me sinto feia, me sinto velha para minha idade, por não ter conseguido míseras conquistas.
Me sinto sozinha mesmo com meu namorado.
Eu não tenho amigos, apenas colegas de sala/trabalho.
Muitas vezes tenho vontade de terminar, mas ele é meu refúgio nos fins de semana, pois odeio ficar em casa. Fico sábado e domingo o dia todo na casa da família dele, só venho para a minha para dormir.

Fico louca só de pensar dele terminando comigo, choro pensando nisso.
Mas o pior pra mim é a minha insegurança. Até pela profissão, ele tem vários amigos e eu sinto ciúmes dessa parte dele. Sinto ciúmes quanto ele se destaca em algo que eu quero me destacar.
Eu não sinto mais tanto ciúmes de mulheres. Depois que descobri que tudo isso é fruto da minha insegurança, eu desencanei um pouco dessa questão, mas mesmo assim, muitas vezes sou rude com ele, não queria ser.
Quero sempre atenção, acho que sugo demais dele.
Eu preciso muito de ajuda psicológica, mas como temos que ajudar em casa, não posso me dar ao luxo disso. Quem sabe ano que vem.

Me sinto burra, feia, gorda. Estou indo para o penúltimo ano da faculdade e sinto que não sei nada, que qualquer um é melhor do que eu, em qualquer aspecto.

Eu não consigo ser quem quero ser.
Eu não sei o que fazer, às vezes parece que não tenho saída.
Eu queria ter uma vida normal, sabe? Não preciso ser rica, só queria ter uma vida tranquila. Calma, estabilizada.
Tem dias que não temos o que comer em casa e a única coisa que meu pai faz é ver TV e jogar no PC (temos luz porque ele fez gato, a luz foi cortada).
Não queria reclamar, pois tenho emprego e faço faculdade. Mas estou cansada, faz 7 anos seguidos (sem contar as outras vezes) que me encontro nessa situação, sinto o peso em meus ombros de responsabilidades que não são minhas.

Estou cansada, queria sumir, morrer.
São tantas coisas que gostaria de pôr aqui, mas não consigo colocar tudo.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Deborah disse:

    Não costumo comentar mas acho que os outros só fazem com nós o que permitimos.
    Dêem um basta na folga do seu pai.

    Curtir

  2. Ama disse:

    Vai ficar tudo bem meu amor, termina essa faculdade e sai com sua irmã de casa. Você consegue, você pode, você é suficiente. Seu namorado te apoia, ele quer que você cresça e sabe que é possível.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s