Desmame de mamadeira: a difícil hora de largar

Por Danielle Fava – 21 Dezembro 2016


É sempre muito comum falar sobre o desmame do peito, porém, muito pouco se fala sobre a hora de largar a mamadeira. E esse desmame, é tão difícil quanto o desmame do peito, pois também envolve o emocional para a criança e isso muitas vezes é negligenciado com a simples frase: “Você já é muito grande para tomar mamadeira” ou “Onde já se viu uma criança desse tamanho tomando mamadeira”? O desmame de mamadeira pode ser mais prolongado do que o dito comum e muitos aspectos emocionais não são considerados. Além disso, ao deixar a mamadeira, algumas crianças simplesmente param de tomar o leite, não o aceitando no copo, o que pode trazer prejuízos nutricionais.

Enquanto as crianças que mamam no peito costumam desmamar em torno dos dois anos, a maioria dos pais cujos filhos utilizam mamadeiras, continuam utilizando este utensílio mesmo após os dois anos, e não há dados de por quanto tempo isso se prolongue, mas sabemos que tem crianças de 4 e 5 anos que ainda usam mamadeira.

Esse uso prolongado da mamadeira traz diversos prejuízos para o desenvolvimento orofacial da criança, além de maior prevalência de cáries e a deglutição de outros alimentos pode ficar comprometida, o que não ocorre no caso da amamentação prolongada no seio materno.

Dessa forma, as recomendações de que a lactação para bebês que não podem mamar ao seio seja realizada por meio de copinhos, é a mais adequada e verdadeira, embora muitas pessoas torçam o nariz. A relactação ou translactação, forma pela qual o bebê mama por meio de uma sonda ligada ao seio materno, pode ser eficiente para manter um padrão de amamentação alternativo à mamadeira. Embora não sejam práticos, futuramente, são formas que terão um manejo para um desmame mais tranquilo.

De certo que cada família deve fazer o que para si é melhor, na hora do desmame, a família deve introduzir as frutas, verduras e legumes que lhe estão acessíveis e progredir para a alimentação semelhante a da família, que precisa estar emocionalmente segura, para que o bebê também se sinta bem. Evitar deixar que essa mamadeira, principalmente a noturna, se estenda por mais dos dois anos e incentivar a criança, sem criticar e muito menos ferir a auto estima dela, mas também respeitar o seu tempo. Pode ser que ela não esteja preparada para deixar a mamadeira aos dois anos e tudo bem. Talvez aos 3 anos ela deixe. Procure não fazer disso um problema. Mas o importante é não deixar de incentivar esse progresso.

Caso sinta que precisa de ajuda, não deixe de procurar um profissional, como um nutricionista e um psicólogo, principalmente se, ao retirar a mamadeira, a criança se recusar a tomar o leite no copo. O acompanhamento com um dentista também se faz necessário desde cedo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s