Como conviver com o consumo saudável e a industrialização em relação aos alimentos?

Por Danielle Fava – 03 Dezembro 2016

O processo de industrialização trouxe muitos benefícios por facilitar a nossa vida de diversas formas, principalmente quando a mulher passou a trabalhar fora e o seu tempo para a dedicação as tarefas do lar diminuiu.

Com isso, também passamos a ter mais comodismos e, claro que, em alguns aspectos, é muito bom ter mais facilidades em casa para poder passar mais tempo com outros afazeres e também com nossos filhos, poder se dedicar a outras tarefas e projetos.  Com isso, a indústria, que não é boba, cria cada vez mais demandas para consumirmos, sempre nos fazendo acreditar que realmente necessitamos daquilo, ainda que, depois de comprar, o produto fique nos armários de casa, sem uso.

Assim como acontece com os bens, acontece com os alimentos também. Para facilitar o transporte, para que os alimentos tenham maior vida de prateleira, a indústria desenvolveu uma séria de produtos que atendessem esse e outros apelos e criou outros que nem seriam uma necessidade, mas que acabaram virando essenciais para algumas pessoas. Claro, facilitou a vida, mas também trouxe algumas consequências desagradáveis para a nossa saúde.

Por exemplo, para conservar, os processos industriais utilizam muito açúcar de diversos tipos. O açúcar, além de conservante, também serve para dar textura e sabor aos alimentos. Dessa forma, em muitos produtos industrializados é muito comum encontrar na lista de ingredientes açúcar, açúcar invertido, dextrose, xarope de glicose/glucose, xarope de milho, maltodextrina, e outras formas de açúcares que muitas vezes os consumidores desconhecem. Com isso, passou-se a observar que o consumo excessivo de produtos industrializados poderia levar a doenças como obesidade, diabetes, etc. Então foram criados os produtos diet e light para atender as pessoas que estavam preocupadas com essas questões. Ainda assim, esses produtos não são totalmente seguros, pois também se sabe que o consumo excessivo de adoçantes pode trazer malefícios para a saúde e, alguns tipos de adoçantes ainda não possuem estudos suficientes para saber quais são esses males em longo prazo.

Então a indústria sempre cria algo para atender alguma necessidade, mas industrializados sempre precisam de uma avaliação criteriosa por parte dos consumidores, principalmente quando se trata da saúde de nossos filhos. A geração que hoje tem em torno de 30 a 40 anos, cresceu no auge dos produtos industrializados e do aparecimento dos fast-foods, e hoje é a população que mais precocemente está sofrendo com sobrepeso e obesidade e outras doenças crônicas como diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia. Foi uma geração que cresceu na cultura de que o leite industrializado seria melhor do que o leite materno (pasmem! Pois foi logo quando foi lançada uma das primeiras fórmulas infantis e a indústria chegou a convencer diversos pediatras de que seria melhor do que o leite materno), cresceu comendo biscoitos recheados e tomando leite com achocolatado, sucos em pó, hambúrgueres prontos, embutidos, salgadinhos de pacote e outras coisas.

E não, não culpem as mães dessa geração por isso. Elas foram praticamente as primeiras a estarem fortemente no mercado de trabalho, e foi muito importante para todas as mulheres isso. E o comprar representava de certa forma status. Era o que podiam fazer naquele momento e foram movidas pelo momento cultural da época. Assim como agora estamos fazendo um movimento contrário, evitando o consumismo porque agora temos mais conhecimentos do que tínhamos antes

E como equilibrar, como conviver com os processos industriais no que concerne à alimentação e nutrição de uma forma saudável? Primeiramente, adquirindo conhecimento, de fontes confiáveis. O novo guia alimentar para a população brasileira é o documento oficial e está riquíssimo em informações fidedignas, de forma fácil, direta e disponível para download na internet. Basta fazer uma busca básica e você consegue achar.

No dia a dia, preferir alimentos naturais, tentar cozinhar mais em casa, deixar os alimentos pré-preparados para facilitar o dia a dia. Uma das coisas que mais deixam as mães malucas é a questão do lanche escolar. Como montar lancheiras saudáveis, sem tantos industrializados? Bolos, pães, biscoitos podem ser feitos em casa. Mesmo se você trabalhar fora, tem pouco tempo, vale a pena pegar algumas horinhas e ir para a cozinha. Leve as crianças com você e esse momento em família com certeza será incrível.  Complete com frutas, queijos (dependendo do tempo que ficará fora da geladeira ou considerando uma lancheira térmica), suco de frutas, etc.

É claro que os alimentos industrializados podem entrar na rotina, mas em menor quantidade. Por exemplo, naquele dia que você não conseguiu preparar nada para a lancheira e comprou algo. Não se sinta culpada por isso. Está tudo bem. Todos temos um dia que estamos cansados, não queremos ir para cozinha, queremos comer fora, enfim. Não há nada de mal nisso. Mas equilibrar é fundamental para nossa saúde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s