Querida mãe que nunca chorou em posição fetal…

Por Elisama Santos – 07 Setembro 2016 – Tudo Eu


Querida mãe que nunca chorou em posição fetal,

acho muito bacana que nem toda mulher tenha se tornado um ser super bipolar* depois da chegada dos filhos. Sério, falo de coração. Imagino como deve ser legal não querer sair correndo depois do 54327 “mamãe” do dia. Mas sabe, muitas de nós vivenciam a maternidade de uma forma bem mais tensa – e intensa. Muitas sentem falta do banho demorado, do cabelo hidratado ou de ouvir os próprios pensamentos. Acredita que meus filhos batem na porta até quando faço cocô? Ontem esqueci a porta aberta e a caçula queria limpar a minha bunda. Eu queria achar lindo, mas tive vontade de fugir. Ah, alguns bebês acordam a madrugada inteira! E seguem acordando até sabe Deus que idade. Dos sete dias da semana, com sorte, durmo seis horas seguidas em três, mesmo tendo filhos com mais de dois anos. Eles também bagunçam a casa, brigam, ficam sujos e tiram meleca do nariz. Saem com roupa amarrotada – como todo o resto da família. Talvez os seus também façam isso. Mas a minha doação diária não é gratuita. Não dou todos os banhos sorrindo, não tempero a comida com amor todos os dias e não acordo pra velar o sono. Tem dias que me divirto muito com eles e tem dias que acordo sonhando com a hora que vão dormir. Mas tudo bem, sabe? Tudo bem se você e eu sentimos a vida de formas diferentes. Não existe mãe perfeita ou mãe de merda. Se trabalha ou não, se pariu em casa ou com hora marcada, se usa orgânicos ou come tudo de pacotinho. Todo ponto de vista é só a vista de um ponto. Amor não se mede. Não estamos em uma competição de mãe do ano. Então, se você nunca sentiu nada do que falo, se vive só de amor, aproveita pra perceber que existem outras formas de existir. Se uma mãe está dividindo os medos, angustias e frustrações dela, falar da sua realidade feliz e sonhada não vai ajudar. Se não souber acolher, fica em silêncio. Se não sabe como fazê-la se sentir um tiquinho melhor, fica na sua. A maternidade me faz chorar em posição fetal embaixo do edredom. Eu já aceitei isso. Tá tudo bem. Demorei a me convencer de que não sou a única. De que somos muitas. E de que não há certo e errado na forma de sentir. Se a gente ta seguindo o coração, se tem consciência das escolhas que faz, vai ficar tudo bem. Não estamos em guerra.Muito nos une, mais que o que nos separa.
Sorte, paz e saúde pra você.
Que sejamos felizes com as nossas escolhas.
Um beijo!

*Bipolar no sentido de oscilante entre dois pólos. Transtorno bipolar é coisa séria, meu abraço às que convivem com mais essa dificuldade.


Texto da nossa parceira Elisama: https://www.facebook.com/elisamasantosc/posts/531667043708117

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s