Essa culpa me arrasa

Nataly, 1 filha, Aux. Adm., 22 anos

Desabafo Anônimo: Me cobro muito com relação a maternidade, me sinto ausente, amo minha filha, mas ela fica com a avó paterna, é difícil pra mim, eu não tenho paciência, fui mãe muito nova, e diagnosticada com depressão, atualmente sem fazer tratamento.
Não dá pra explicar a dor no coração quando estou longe dela, mas aí eu pego ela e não sei, não me sinto capaz, não é como se eu fosse mãe, ela tem 4 anos e 6 meses, é linda, tão esperta e carinhosa, mas minha falta de paciência machuca nós duas.
Essa culpa me arrasa, ela afeta meu relacionamento, atualmente tenho um namorado que parece ser ótimo, mas ai eu não sei, me sinto insegura como mãe, como mulher.
Sinto isso em muitas mães novas, mas sei lá me sinto mal quando vejo que tudo dá certo para alguém, as vezes eu só queria dormir, me sinto cansada, e sei que é um reflexo da depressão. Nos últimos 6 meses eu tive 3 empregos bons, sai.
Qualquer cobrança pra mim é inaceitável, eu surto, me fecho, simplesmente desisto. Estava tudo bem quando comecei no meu atual emprego, já que não seria cobrada por metas, mas já me sinto cansada, não quero mais levantar, dormiria o dia todo, em um quarto escuro enrolada em minhas cobertas.
Quero sair, mas quando saio me sinto culpada: eu não deveria ter ido, sair e deixar minha filha é egoísta, os lugares, pessoas e ambientes são chatos, nada me agrada.
Desabafar ajuda, obrigada por essa plataforma, ao escrever percebo que cada pequeno sintoma torna-se um fio nessa teia que é a depressão, novamente pretendo procurar ajuda, tirar esse cinza dos meus dias e ver que lá fora o sol brilha tão lindo como sempre foi.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Flavia Vianna disse:

    Nataly, uma vez fiz um desabafo aqui dizendo que é impressionante como nós, mães, nos sentimos culpadas 24h/ dia. Eu também sou assim. Também tenho depressão (a minha é de média para grave), fazia acompanhamento psiquiatrico, mas acabei largando. (é sempre assim, tenho uma queda, vou na minha médica, quando começo a melhorar largo e até outra crise sigo sozinha).

    Eu também tenho vontade de dormir o dia todo enrolada nas cobertas ou então pegar o kindle e ler 150 livros por dia. Mas eu tenho meus filhos, meus amores e é por eles que eu levanto todas as manhãs e sigo a vida. Não é fácil. Nunca é. Mas eu preciso acordar, levantar, alimentá-los, fazer para casa, dar atenção, preparar o almoço. Minha vida é corrida, tenho sorte de trabalhar apenas meio horário, mas ainda assim não é fácil.

    Procure ajuda médica ou uma terapia. Vai te fazer bem. Não precisamos viver com a culpa. Somos as melhores que podemos ser dentro das nossas possibilidades.

    Um beijo

    Curtir

    1. Nataly disse:

      Flavia, obrigada pelo conselho, desde o desabafo passei por muitas coisas, mas estou me reerguendo, e tenho sido acompanhada por ótimos profissionais. Nunca é fácil, mas uma hora a gente consegue.

      Um beijo

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s