Os laços que unem as mães de UTI

Por Ellen Moraes Senra – 23 Julho 2016


Olá novamente!

Esses dias me peguei pensando em algo que não cheguei a sentir na pela de fato, mas que acompanhei de perto em dois momentos distintos da minha vida e que me fizeram ter o desejo de escrever esse texto.

Quais são os laços que unem as mães que tem bebês na UTI neonatal?

Há oito anos nasceu minha primeira sobrinha, a minha Myllena, um anjo que veio para trazer harmonia em nossas vidas que até então estavam bem conturbadas, minha pequena guerreira que precisou travar uma batalha pela própria vida próximo aos sete meses de gestação da minha irmã, uma vez que essa começou a perder líquido amniótico sem que os médicos percebessem. Por sorte ou providência divina, apareceu um anjo que fez o parto às pressas e salvou a vida da nossa pequena, mesmo que essa precisasse ainda permanecer por quase um mês de vida para recuperar-se totalmente.

Como foi difícil!

Acompanhei o sofrimento diário da minha irmã que precisava retornar pra casa toda noite e deixar seu bebê sob os cuidados de profissionais de saúde e sempre me perguntava de onde ela tirava força.

O dia da alta chegou e foi uma alegria só. Após alguns dias minha irmã cantava uma música que eu não conhecia ainda: “você é linda demais, perfeita aos olhos do pai…” Eu sempre me emocionava ao ouvir aquela música e soube que foi dentro das paredes da UTI neo que ela aprendeu.

Em outro momento, minha então chefe e amiga teve seu filho prematuramente e, na ocasião, acompanhei de perto sua jornada, a sua dor e, principalmente, a fonte da sua força para aguentar a incerteza dos dias em que seu pequeno estava recluso na UTI neo. Lembro-me bem de suas postagens nas redes sociais, bem como de seus relatos pra gente no trabalho sobre a luta e a dor das mães que compartilharam com ela o período na UTI neonatal. Lembro- me inclusive que elas se uniram após a saída dos bebês, uma se entristecia com a dor da outra, uma vibrava com a vitória da outra e assim se formou um laço inquebrável e também inexplicável, mais forte do que algumas amizades de infância ou mesmo que alguns laços familiares.

Em todo caso, acredito que só é capaz de compreender esses laços é quem passou por isso e, justamente por esse motivo, gostaria de saber de vocês mamães que passaram por essa experiência o que vocês acham que fortalece esse vínculo?

Termino esse texto aguardando ansiosamente o depoimento de vocês.

Sintam-se abraçadas!

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Renata Batista disse:

    Oi.Adorei seu texto.Minha filha ficou 71 dias na Neo.Fiz amizades que serão para sempre,enquanto minha amiga de infância me abandonou e quando apareceu só falou besteira.O que nos une,mães de UTI é a dor.Uma dor enorme de um útero que ficou vazio antes da hora,de braços também vazios…Bjos e obrigada por suas palavras e sensibilidade.

    Curtir

  2. Marcela disse:

    Muito obrigada por seu texto. O momento realmente foi muito difícil. Nenhuma mãe está preparada para sair do hospital e deixar o seu filho.

    Curtir

    1. Eu que agradeço por ter podido compartilhar desse momento com você, dando força, mesmo que por meio de palavras.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s