Estou cansada de ser julgada pela minha própria mãe.

J.A – 15 anos – Estudante


Desabafo Anônimo: É a minha mãe…
Eu não aguento mais, ela me critica por qualquer coisa, e nunca percebe nada que eu faço por ela, sempre me chamando de ingrata, egoísta, ridícula, coisas do tipo… Ela sempre fica do lado do meu irmão, de 20 anos, eu não sei porquê, talvez seja porque ele trabalha fora, e só venha pra casa os fins de semana, mas mesmo assim, o local de trabalho dele não é tão longe de casa, e o meu pai trabalha muito mais que ele, sabe? Ela já chegou a dizer que eu sou pior que ele, não nessas palavras, foi que um dia estávamos conversando e chegamos a esse assunto, de trabalho, e eu disse que quando eu começasse a trabalhar, claro, daria uma parte pra eles, para ajudar nas despesas, e ela começou a falar do meu irmão, que dá o dinheiro todo e nem pergunta pra que fim aquilo ali vai levar, e eu disse que era diferente, que eu queria comprar meus livros, principalmente os de estudo (eu pretendo fazer medicina), e conversa vai conversa vem, ela me comparando com ele, e eu disse “eu não gosto quando me compara com ele, somos pessoas diferentes” e ela: “de jeito nenhum!”, e eu perguntei se ela falava isso porque eu não me comparava com ele (porque eu era pior que ele) e ela disse “com certeza não se compara, meu bem”. Ela falou isso com tanto… desdém, desprezo. Sempre que ela briga comigo eu fico pensando nisso. Todas as vezes que a gente briga ela me fala coisas horríveis, e eu choro, em silêncio claro. Mas depois ela fica um amor comigo… Por incrível que pareça, a única pessoa que me entende (na maior parte das vezes) é o meu irmão. Eu não aguento mais ficar brigando e fazendo as pazes com ela, já tentei conversar, mas nunca adianta, eu sempre vou ser a egoísta, ingrata.
E ela me chama dessas coisas pelas coisas mais banais. Por exemplo, eu faço muito serviço doméstico (claro que não tanto quanto ela), porque estudo a tarde, ainda dá tempo de fazer algumas coisas, nos fins de semana, tem mais gente em casa, meu irmão vem, e ele não faz nada, isso me deixa chateada, e eu falo com ela, e ela diz que é ele quem tá pagando minha escola e algumas contas em casa e tal. Eu acho isso injusto, porque meu pai sustentou essa família durante 16 anos, e ela nunca disse para ele não fazer nada. Com meu irmão é assim. Acho isso muito injusto. É ele quem sempre recebe o crédito, quem sempre recebe atenção, afinal, ele não fez as besteiras que eu fiz, ele não cometeu os erros que eu cometi. Eu sei que a maioria das coisas que minha mãe me fala são verdades, porque com tudo aquilo que fiz, acabei os afastando de mim, e isso só me deixa pior, e eu tento melhorar, eu juro, mas (A) ninguém nunca percebe e (B) no primeiro deslize que eu dou, mesmo que seja mínimo, ela briga comigo. Quando ela ver as coisas ou na internet ou na TV de pessoas que foram pressionadas, ou ignoradas de alguma forma, ela só lembra do meu irmão, e ela fala “quando vejo essas coisas só lembro dele, fico preocupada”. Mas e eu?! Ela acha que eu não conto mais? Que eu sou tão madura que ignoro as coisas que ela me fala? Eu só tenho 15 anos! Por mais madura que eu seja em alguns aspectos, eu só tenho 15 anos. Meu irmão diz que eu sou carente de atenção, e, sinceramente, estou começando a achar que sim também.
Não são todos os momentos que são ruins com ela. Muitos são bons, ela é uma boa pessoa, uma ótima mãe, mas as brigas, as discussões sempre me fazem voltar à mesma coisa… Ela prefere o meu irmão a mim. Eu já tentei pensar o contrário várias e várias vezes, mas é a verdade. Não precisa ser nenhum gênio pra perceber, já até me acostumei com a ideia. Ele cresceu sem o pai biológico, foi mal na escola, mas nunca repetiu (só a 7ª série), não quer fazer faculdade e trabalha num cartório. Eu, a filha mais nova, “egoísta e ingrata”, que vou muito bem na escola porque é a única maneira de ela me dar algum crédito, que já me automutilei pelo mesmo motivo, que já decepcionei ela diversas vezes, e sou 10kg acima do peso. Não sei se te contei isso. Ela também sempre fala do meu peso. Sabia que ela já disse pra eu me matar?
A gente tava numa briga feia e ela disse “A gilete tá aí, cê não gosta tanto dessas palhaçadas? Pega aí, se mata”

Eu sei que não sou das filhas mais perfeitas, mas eu tento melhorar, e ela não vê. Simplesmente não vê. Eu sei que já a decepcionei várias e várias vezes, e eu me arrependo amargamente de cada uma delas (se ela estivesse lendo isso, diria que era mentira), mas sim. Eu me arrependo. Eu me sinto… Rebaixada por eles, sabe? Principalmente por ela. Tenho certeza absoluta de que, se ela visse isso, ela diria que eu tô me fazendo de coitadinha e tudo mais, mas não. É como eu me sinto. E sem falar de todas as vezes que ela passa na minha cara eu querer fazer medicina. Se eu não lavo a louça: “NÃO SEI QUE TIPO DE MÉDICA TU QUER SER!”. Se eu esqueço de arrumar meu quarto: “NÃO SEI QUE TIPO DE MÉDICA TU QUER SER!”, tudo é assim. E eu já venho aguentando isso há muito tempo. Tô pensando… Em dar um fim… Sabe? De outra forma, eu vou ficar louca, e aí não me torno uma médica de maneira nenhuma mesmo.
Muitos de vocês devem estar pensando “Pessoas têm problemas maiores, estão passando por situações piores. Isso é só a adolescência”. Sim, eu sei que muitas pessoas têm problemas piores, mas pra mim, é o pior problema. Assim como pra você, na sua adolescência deve ter tido um desses, que achava que era o fim do mundo, e na verdade não era nada.

Só estou cansada de ser julgada pela minha própria mãe.

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Michelle disse:

    Oi! Eu tenho hoje 32 anos e aos 15 vivi muita coisa parecida com vc. Essa predileção das mães por esse ou aquele filho sempre gera ao preterido essa sensação de abandono emocional, que temos que resolver por conta própria na maioria das vezes, mas não busque obter atenção dela em aspectos negativos da sua personalidade, se empenhe em diante das críticas ser exatamente o oposto do que ela critica, ou seja, se ela te chamar de egoísta acrescente em seus dias mais ações generosas e assim por diante. Você tem um futuro pela frente que pode ser muito bom, só é preciso que vc construa às bases para ele agora. E essa condição já pode ser prazerosa! O que for ruim agora ainda vai passar, tudo passa mesmo! Comigo e minha mãe ainda há pontos de intensa discordância, mas convivemos menos agora em casas distintas e ainda assim procuro estar sempre em contato com ela e aproveitar a sua companhia o máximo possível pq eu posso até ter sido preterida em relação aos outros filhos, mas sei que ela me amou e me ama a vida inteira e que independente disso eu pude seguir com minha vida e ser feliz. Você vai conseguir! Foque em ser inteligente não apenas na escola, em que deve ter seu esforço continuo, mas também nos campos emocionais e nas suas demais relações afetivas. Você é merecedora de ser feliz e por mais difícil que pareça ser, isso só depende você mesma! Tudo de bom! Muito sucesso e muita paz!! 😉

    Curtir

  2. raquel disse:

    Oiii. Seus problemas não são pequenos não, e seja sempre bem-vinda a desabafar. Imagino o seu sofrimento, já passei coisas parecidas. Se quiser conversar, deixo meu email. E uma coisa não muda seja a gente adulta, adolescente, criança, idosa: TUDO PASSA! Essa fase ruim vai passar. Se concentre nos seus estudos e tenho certeza que você vai conseguir. Uma vez li que os pais sempre são mais duros com os filhos que consideram mais fortes. E eles “…são crianças como você”…

    Curtir

  3. Railde disse:

    Olá eu passei por algumas das situações que você está passando, minha mãe começou a me tratar só depois que me casei, aos 26 anos. Ela sempre fez tudo por mim, mas nunca ficava do meu lado em nenhuma situação e nunca reconhecia o que eu fazia. Meu irmão sempre foi o foco de atenção dela e ele é mais novo então filho caçula ja viu ne. Quando eu vivia isso o que me ajudou foi ignorar as coisas, eu sei que é difícil pois é nossa mãe né, mas quando você tem essa perceção de que tem defeitos e comete erros é mais fácil ignorar. Meu Conselho para você é: não desista de ser médica concrntre-se no seu objetivo, faça dele a sua fuga. Tenho certeza que você será uma ótima médica e sua mãe vai perceber que apesar de tudo você venceu. Outra coisa é entender o que faz ela ser assim com vc, pode ser uma frustração dela e ela desconta em vc, então você perceberá que não há nada de errado com vc. No mais se for possível procure um psicólogo para te ajudar a passar por isso. Força, você ja é uma vencedora! Bjos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s