O bullying com a gestante obesa

Por Fernanda Gomes Ferreira da Costa – 12 Junho 2016


Percebi como o bullying com uma gestante obesa existe em uma simples frase: “sofri muito no meu outro parto por ser obesa”. Frase de uma mulher que fez bariátrica e ainda sim tem um trauma que carrega por toda a vida.
Ser gorda já não é fácil com essa ditadura da magreza, e ser gorda gestante então, é o maior “pecado” do mundo. Gestantes que sofrem com piadinhas de seus médicos, de seus familiares, de pessoas desconhecidas.
Vocês sabiam que existe uma dificuldade em encontrar médico que aceite fazer o pré-natal e principalmente o parto dessa mulher? Elas são jogadas de um lado pro outro, até alguém aceitar a “bomba que é operar uma gestante obesa”. É isso não acaba por aí, quando chegam aos hospitais, temos camisolas pequenas, mesas cirúrgicas minúsculas, piada de anestesista. E quando elas falam da vontade de um parto normal então?! Pronto, aí começam as asneiras, “você não vai conseguir”, “com certeza tem diabetes, pressão alta com esse peso”. Sinto a dor de cada uma delas quando elas entram no consultório, quietinhas e contam cada monstruosidade que passaram em um passado sombrio.
Já não bastasse a obstetrícia atual ser assustadora ainda tem um plus de quem não é aceito na sociedade. Existem pessoas altas e baixas, magras e gordas, loiras e morenas, pretas e brancas, mas não existe uma sociedade igualitária que respeite a diversidade.
Mulheres gordas merecem respeito
Mulheres magras merecem respeito.
Todas as mulheres merecem o respeito.
Vejo a humanização tão longe em nosso sistema de saúde, onde você se sujeita a engolir todo tipo de sapo do mundo para ter um atendimento precário, em péssimas condições! Pessoas, aprendam a reclamar, abrir a boca para reclamar do que está ruim, tanto no particular quanto no SUS, precisamos lutar para uma saúde de qualidade. Enquanto não fizermos isso, tudo continuará do jeitinho que está!
E você mulher, gestante, não se cale, não deixe que ninguém lhe falte com respeito!
Você, mulher gorda, pode gestar, pode ser respeitada, pode tomar suas próprias decisões, você pode parir!!
Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Joana disse:

    Não fui uma gestante propriamente obesa mas engordei muito e a gestação era gêmeas. Ainda no hospital – ei já de alta, minhas filhas não – comecei a sentir-me mal ( cólicas e eliminação de grandes coágulos), então desci ao Pronto Socorro para passar pelo GO. Quando fui chamada para consulta o médico perguntou: “gestante? ” A enfermeira explicou que não, que eu já tinha ganhado. E ele, com escárnio, com desprezo, disse “Mas com essa barriga? ??” Minha barriga estava grande mesmo, inchada mas precisava disso? ?? Para completar ele ainda me examinou totalmente estúpido, disse que eu não tinha nada. Três dias depois, já em casa, tive hemorragia tardia, mas que de fato já havia começado naquele dia em que aquele médico me tratou com tanta desumanidade.

    Curtir

    1. Nossa Joana! Quanta violência desse médico!! Sinto muito!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s