Depois da perda…

Carolina Domingos 1 filho no céu Contadora 34 anos


Desabafo Anônimo: 14 de Dezembro de 2015. Eu nunca imaginei que a partir desse dia sentiria uma dor tão grande. Hoje fazem 3 meses que Deus levou meu filho, nunca consegui escrever toda história aqui. Converso muito com outras mães de anjos que vêm me ajudando muito, mas nunca consegui contar minha história. Após 3 anos e 4 meses de casada descobri que estava grávida, tinha parado os anticoncepcionais há 3 meses,  (namorei 15 anos antes de casar, nem preciso dizer que meu esposo é meu grande amor). No São João de 2015 descobri estar grávida, eu já estava querendo, mas a surpresa quando você pega o resultado do Beta é muito grande, eu não conseguia acreditar, só acreditei de verdade após primeira ultra quando vi que estava de 6 semanas e 4 dias. Foram meses de muita alegria, tive uma gravidez muito saudável, aos 3 meses comprei os móveis e nos próximos meses fui comprando o restante das coisas. Só alegria, brincava muito com meu esposo imaginando como seria a criação do nosso Lucas porque meu esposo gosta muito de animais, natureza, essas coisas e eu perguntava se meu filho iria pegar sapo com as mãos e meu esposo dizia que sim. Temos alguns passarinhos, um cachorro e meu esposo dizia que ainda iria trazer mais bichos como coelho , galinha, tudo para nosso quintal. Eu fui muito feliz, não tive nenhum problema, nem a tão comum infecção urinária que muitas gestantes tem. Em um final de semana de Dezembro 2015 terminamos de comprar o enxoval e na semana seguinte, domingo 13/12/15 foi meu chá de fraldas. Fiz no quintal de casa, só para as amigas, uma festa muito divertida com bingo. Passei semanas preparando e poderia escrever durante horas aqui, pois essas coisas ficam na nossa cabeça, todos os detalhes, ou seja, estava tudo bem. No dia do chá de fraldas fui dormir meia noite conversando com as amigas sobre o quanto foi divertida a festa. Acordei às 05:00 da manhã para trabalhar, no banheiro observei que o papel que me limpei estava melado de sangue. Não me desesperei fui para urgência na mesma hora, mas acreditei que seria aquela tão comum entrada na urgência e que não seria nada demais, o médico me daria uns dias de repouso e pronto.  Fiz um ultrassom , ligaram para meu médico e fiquei sabendo que minha cesárea seria feita naquele momento, nem deu tempo do meu esposo chegar, quem entrou no bloco cirúrgico comigo foi meu irmão mais novo. Eu estava com 33 semanas e 4 dias. Eu tive uma trombose no cordão umbilical. Comecei a chorar muito quando soube que faria a cesárea mesmo todos me dizendo que estava tudo bem, eu sentia que não. Durante a cirurgia meu médico só me disse: “Carol, ele tá bem não viu?” Eu posso escutar ele falando agora, ficou na minha mente. Eu só lembro que juntei as mãos e pedi: “Jesus salva meu filho” repeti umas 3 vezes, depois só lembro quando acordei no quarto com minha família ao redor. Eu nem sei em que momento fiquei sabendo que meu filho tinha partido, já nasceu sem vida. Eu não lembro de ninguém me dando essa notícia, mas quando acordei já sabia que meu filho não estava mais entre nós. Que coisa não é? Abri o olho, chorei e apaguei de novo várias vezes. Eu estava dopada, em nenhum momento cheguei a ver meu filho, no começo eu senti muito por isso às vezes ainda sinto, mas já aceitei, não foi opção minha , eu queria ter visto, mas nem cheguei a pedir para vê-lo, não tive nenhuma reação. Quando acordava ficava olhando para televisão, dormia, comia, mas não tinha iniciativa para nada, se eu tivesse pensando teria pedido para ver meu filho. No dia seguinte todos foram ao enterro do meu filho e eu sinceramente não acreditava naquilo tudo que via. Respeitei 40 dias do resguardo na casa do meu pai, porque na casa dele teria sempre alguém para ficar comigo. As pessoas infelizmente pensam que temos que ficar sempre com alguém, por isso só chorei tudo que eu queria após esses 40 dias quando fui para minha casa e finalmente fiquei sozinha. Chorei muito, botei para fora mesmo e só depois disso consegui me sentir um pouco melhor. O quarto de Lucas estava todo pronto e não deixei ninguém desmontar, eu sabia que iria doer, eu queria guardar cada coisinha do meu jeito e assim fui fazendo. Com o passar do tempo resolvi também desmontar os móveis e agora após 3 meses resolvi tirar tudo e guardar na casa do meu irmão, um apartamento que está fechado. Eu fiz assim porque me senti bem assim, guardar tudo para depois quando vier outro filho montar tudo. Tem gente que se sente bem deixando tudo montado. A sensação é de mãos vazias, na primeira semana não sabia quem chorava mais: eu ou os meios seios escorrendo leite. No início eu pensava que não iria conseguir fazer mais nada na minha vida, mas os dias vão passando e você percebe que tem uma família que te ama e que assim que estiver tudo bem vai poder engravidar de novo. Só tenho a agradecer a meu pai, esposo e irmãos, é por eles que estou procurando ficar bem a cada dia. Não podemos perder a fé em Deus. Graças a Deus nunca fiquei com raiva de Deus só perguntava “por que comigo?”. Eu não sei explicar e todos dizem e eu acredito, que a gente não sabe de nada. Eu escolhi acreditar que dias melhores virão. Hoje fazem 3 meses, eu pensava que o tempo não iria passar, mas está passando. Agora comecei a me cuidar , fazer exames e isso me deixou mais animada. Vou voltar ao médico, iniciei ácido fólico, agora eu já amo antes de engravidar, para mim a minha gravidez começou agora com esses cuidados médicos e psicológicos. A vontade é de estar bem e de que o tempo passe e eu possa engravidar de novo, mas para mim a gravidez começou agora. Agradeço às mães de anjo que me ajudaram muito nos primeiros dias como: Renata Santos e Ana Possani , e depois delas conheci várias outras num grupo do whatsapp, mas esses dois anjos não tenho como esquecer, depois que conheci elas descobri que não estava sozinha. Eu poderia passar o dia escrevendo contando minha história, mas é isso. Grande abraço a todas vocês!

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. laira disse:

    Sei bem o que vc passou .eu estou passando por isso, faz um mês que minha filha virou um anjo.a dor é terrível .tem horas que fico perdida só estou aguentando ,porque tenho um filho de 9 anos que precisa de mim e um marido que me ajuda muito. Minha filha nasceu de 24 semanas ,ficou 8 dias na uti e não resistiu .minha millena louise hj está com deus é meu anjo no céu.

    Curtir

  2. Liz de Angelo disse:

    Nossa, nem posso conceber o tamanho dessa sua dor. Sinto muito, de verdade. E força aí! Com o tempo, a dor cicatriza e somente a saudade fica. Que você encontre a felicidade. Beijo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s