Hoje me resta a lembrança

Meu nome é C… tenho 27 anos e dois filhos, uma menina linda e meu anjinho Pedro Henrique…


Por ter passado por um parto tão traumático aos 21 anos, tinha decidido não engravidar mais… Após algumas realização pessoais eu e meu esposo decidimos engravidar novamente. Planejamos tudo. Fui ao médico, fiz os exames, tomei o ácido fólico, tudo direitinho…

Dois meses após as tentativas estava grávida. Nossa, parecia um sonho, tudo ocorria bem… e logo após algumas semanas descobri que era um menino!!! Tudo o que eu queria!!!! Que sorte a minha. Ele desenvolvia bem e tudo ocorria bem até que no dia 30/09/2015, no meu aniversário, senti algo estranho… Meu Pedrinho não mexia…. Como na gravidez anterior a minha filha ficou sem mexer, imaginei que o mesmo estava acontecendo. Aguardei por 24 h…

E estimulei ele, fazia carinho na barriga, cantava, comia chocolate (ele adorava) e nada…. Meu esposo e eu fomos no hospital onde tive a notícia que nunca imaginava ter na vida, ele havia morrido (39 semanas de gestação). Assim, o coração parou de bater…

Como a vida é frágil. Como me senti impotente. Pedi para ouvir o coração dele por diversas vezes e nada….
Não acreditava , eu que era tão otimista (sempre dizia que gravidez é uma questão de fé pois não o vemos só sentimos e amamos os bebes), uma parte de mim morreu quando meu filho se foi… Levou com ele a minha alegria , o meu otimismo e os meus sonhos de sentir ele nos meus braços.

Como dói… Na alma dói…

Foi tudo difícil. O parto, ver ele desfalecido em meus braços. O puerpério, os comentários desnecessários, a dor de ver outras mães com os filhos no colo saindo da maternidade felizes, tudo doía… Nossa, me senti um lixo…

Para minha família foi difícil também, inclusive para minha filha (na qual me inspiro a viver todos os dias).
Hoje me resta a lembrança daquele rosto lindo… Do corpinho perfeito, do cheirinho de bebe e da saudade…

Nossa, quanta saudade, dói a alma.

Estou no tratamento com a psicóloga, ganhei uma cadelinha (logo após a morte do meu bebe) que alegra a casa e ajuda na recuperação de todos, inclusive da minha filha. Espero algum dia ter  a oportunidade de abraça-lo novamente e sentir o seu cheiro e poder dizer que eu o amo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s