A gente incomoda

Diário da Violência – Por Enfermeira Obstetra Anônima – 9 Setembro 2015


A gente incomoda.

A enfermeira obstetra incomoda por receber bem uma gestante, o casal e o acompanhante na maternidade. Incomoda por orientar sobre a dinâmica do trabalho de parto e nascimento, e sobre os direitos de toda parturiente.

Incomoda por verticalizar a mulher, e mostrar como pode usar a bola, o chuveiro, o arco da cama, o apoio do parceiro, o corredor, o jardim, o abraço.

Incomoda mesmo.

Em materniadade onde a gestão não apóia o parto acompanhado por enfermeira obstetra, somos sub utilizadas. Mas mesmo assim nossa presença incomoda.

Por perguntar pela gestante se precisa mesmo aquele soro, se dá pra esperar mais um pouco por aquele toque, se precisa mesmo romper a bolsa. Incomoda.

Causa estranheza colocar pra parir de quatro apoios, ou amparada na cama, ou com um lençol no chão.

Na verdade, não se tem escolhas. Eles não sabem mais partejar, escutar e acolher, em sua grande maioria. Pode-se contar no dedo quem ainda acolhe as escolhas, e também quem trabalha com processo de equipe. E nem é uma questão financeira, pra aqueles que não recebem por AIH, e sim por plantão trabalhado, tanto faz. A questão é o poder. Ofereça um milhão de reais ou o poder e verás. E quando incomodamos, nos colocam na subserviência, para abrir pacotes estéreis e campos, e nos enchem de tarefas ridículas e submissas, impróprias e desrespeitosas, pois desta forma, óbvio, não incomodamos.

Nós temos poucas escolha, e todas sacrificam ou nossa ética e ideologia, ou nossa dignidade. Muitas são as vezes que abrimos mão das boas práticas, para que a violência institucional não respingue na gestante. Além do desrespeito à profissão, a enfermagem ainda é menosprezada como gênero, e a dor da mulher ali deitada, também é a dor de todas nós. O silêncio se torna uma prece.

Precisamos nos unir, não apenas como classe, mas como humanidade. Precisamos cutucar gestores, políticos, representantes, comunidades e lideranças, para que lutem conosco. Porque o enfrentamento, mesmo que pacífico, é doloroso, e precisa ser dividido para ser escutado.

A mudança precisa vir de quem sustenta o mercado, por isso precisamos empoderar as mulheres, e fazê-los perceber que é um caminho sem volta. Que as intervenções são abusivas e fazem mal a toda uma sociedade, não apenas a classe dos enfermeiros obstetras, que vem sobrevivendo com tamanhos percalços a décadas de luta.

Não apenas de evidências científicas se constrói uma mudança, embora seja a munição desta guerra de interesses, mas também da disseminação do conhecimento, e do retorno à mulher do que é dela de fato.

Talvez exatamente por mexer no gênero, estas conquistas sejam tão difíceis. Por mexer no status de quem domina, que a obstetrícia ainda não evoluiu. A bandeira é muito mais alta do que um parto digno e seguro, é a bandeira da liberdade, da autonomia e das escolhas conscientes, onde a mulher exerça seu papel de fato e desenhe sua história. É uma luta de todas.

É por elas, é por nós. Por favor, mulheres, incomodem.

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Quezia Neves disse:

    Eu tive que lutar contra o ego de um médico responsável pelo plantão quando fui parir minha cria. Meu plano de parto atingiu esse médico diretamente no ponto em que você tão sabidamente tocou, o poder. Ele foi de uma grosseria impossível de reproduzir em palavras apenas. Mais de 10 profissionais vieram questionar minhas escolhas e tentar me fazer abrir mão dos meus direitos. A adrenalina provocada por essas intervenções retardou o processo e tive que bravamente resistir às exaustivas 48 horas de trabalho de parto, sem aceitar as intervenções de hormônios, anestesia e outros químicos que tentavam empurrar mim e a meu filho.
    Fez muita falta que aquela equipe formada por mulheres, comandadas por 1 homem, usassem um pouco de empatia e abraçassem minha causa como causa delas.
    Por favor, não desista de incomodar. Você é extremamente necessária!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Erika disse:

    Que não te falte forças!
    Que não te falte amor,
    Que o universo retorne a beleza da tua luta!
    Que incomode, incomode e incomode ….
    As mudanças são difíceis, vem de lutas e muitos terão marcas dessas lutas!
    Que teu caminho seja repleto de luz e força para ir contra o sistema, saiba que pessoas como vc mudam vidas e famílias e um dia todos entenderão que para mudar o mundo devemos mudar a forma de nascer!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s